José Antônio Leal

José Antônio Leal, gerente geral de TI da Gerdau no Brasil, deixou o cargo na multinacional nesta quinta-feira, 10.

A informação é de fontes de mercado. Procurada, a Gerdau confirmou a movimentação por meio da sua assessoria de imprensa.

Leal é um executivo de carreira da Gerdau, empresa na qual começou ainda em 1986, como desenvolvedor de aplicações.

O profissional passou por uma série de posições dentro da TI da Gerdau, sendo o período mais longo como gerente de suporte e desenvolvimento, entre 1988 e 2004.

Depois disso, foi ainda gerente de planejamento e controle de TI e gerente de TI regional para América Latina.

Profissionais com décadas de casa como Leal tem sido desligados com frequência da Gerdau nos últimos meses, como parte do que parece ser uma operação de corte de custos.

Em agosto, o Baguete averiguou 30 cortes na TI da companhia no Rio Grande do Sul, Minas Gerais e São Paulo.

A exemplo do que aconteceu em novembro do ano passado, quando foram demitidas 40 pessoas, os cortes (em uma minoria dos casos, aposentadorias antecipadas) focam em colaboradores perfis técnicos e salários altos.

A informação obtida pelo Baguete é que a equipe interna de TI da Gerdau era de 200 pessoas antes dos cortes. Caso todos os números estejam corretos, a siderúrgica terá reduzido seu quadro de TI em quase 50%.

Procurada pela reportagem do Baguete na época, a Gerdau confirmou as demissões, sem abrir os números exatos dos cortes.

Em nota, a empresa afirma que a “redução de postos de trabalho foi o último recurso após a tomada de uma série de medidas para evitá-la”.

O alto comando da TI da Gerdau mudou. Em agosto, o Baguete revelou com exclusividade que Gustavo Werneck, profissional que no último ano foi diretor executivo da Gerdau na Índia, assumiu o cargo de CIO Global da Gerdau.

Engenheiro mecânico pela UFMG de formação, Werneck está Gerdau desde 2004.

Glen Beeby, profissional que ocupou a posição nos últimos seis anos, deve permanecer na companhia até o final do projeto Template Gerdau.

Iniciado ainda em 2011 (Beeby foi líder do projeto antes de assumir toda a TI) o Template Gerdau visa uniformizar o sistema de gestão da companhia em nível global, com base em tecnologia da SAP.

Os cortes na TI não estão acontecendo no vácuo. Não existe um número oficial consolidado, mas, ao longo dos últimos meses, pipocam notícias constantes sobre demissões em diferentes operações da Gerdau.

De acordo com dados de sindicatos de metalúrgicos, foram cerca de 80 rescisões de funcionários da fábrica em Sapucaia do Sul, no Rio Grande do Sul, entre o final de junho e o mês de agosto. Em Pindamonhangaba, em São Paulo, teriam sido 400 trabalhadores foram demitidos desde o ano passado.

A Gerdau não é a única empresa fazendo cortes. De acordo com uma projeção do Instituto Aço Brasil, feita em junho, o setor já computa 11,2 mil demissões de funcionários desde junho de 2014 em empresas como Usiminas, CSN, Gerdau, ArcelorMittal e Votorantim.