O projeto Wi-Fi nas Escolas, realizado pelo ICI, teve sua terceira etapa concluída. Foto: Divulgação.

Utilizar internet via wi-fi dentro das salas de aula já é possível para mais 50 escolas municipais curitibanas. O projeto Wi-Fi nas Escolas, realizado pelo Instituto Curitiba de Informática (ICI) a serviço da Secretaria Municipal da Educação (SME) de Curitiba, teve sua terceira etapa concluída. 

A primeira, em 2012, equipou 80 instituições de ensino da rede pública. Há cerca de dois meses outras 30 unidades foram beneficiadas e, recentemente, mais 20 escolas receberam a tecnologia, que inclui antenas com sinal de 10 Mb para uso em todos os ambientes das instituições. 

Para implantar e manter o sistema de wi-fi, é investido aproximadamente R$ 32 mil por escola, segundo o gerente de Infraestrutura do ICI, Fernando Matesco.

“A secretaria pretende abranger as 181 escolas municipais de Curitiba, por isso estamos em tratativa com a prefeitura e a secretaria de informação e tecnologia sobre o assunto”, explica a gerente de Infraestrutura e Conectividade da SME, Gleicilene Vicilli.

Para atingir o objetivo, a prefeitura terá que investir um total de aproximadamente R$ 560 mil.

O objetivo do projeto é levar a internet para mais atividades, além daquelas feitas em aulas específicas de informática. Nas salas de aula, a internet pode ser acessada com netbooks da Positivo. Em 2012, a prefeitura adquiriu 20 mil equipamentos e distribuiu nas escolas.

Além das antenas dentro das escolas, o ICI instalou também antenas para uso da comunidade no entorno de cada uma das instituições incluídas no projeto. 

“A antena tem raio de alcance de 200 metros e, somando as residências dos arredores das 130 escolas, o sinal beneficia mais de 22 mil residências e pontos comerciais”, define Matesco. 

Segundo ele, a rede da escola é diferente da utilizada pela comunidade, para que os alunos não utilizem o wi-fi escolar para atividades recreativas em dispositivos próprios.

“Os netbooks das escolas estão configurados com senha para acesso à internet. Só passamos a senha para a diretora, que pode informá-la aos professores. Quando a senha acaba vazando para os estudantes, definimos um novo código”, relata Matesco.

O IDHM (Indíce de Desenvolvimento Humano Municipal) de Curitiba como o 3º melhor do Brasil no quesito educação - atrás de São Luís e São Paulo, segundo pesquisa baseada no Censo de 2010.