ACELERADORA

Ventiur compra Venti

10/10/2014 17:39

Aquisição vai dar um gás extra na aceleradora, uma das participantes do Start Up Brasil.

Sandro Cortezia.

Tamanho da fonte: -A+A

A aceleradora Ventiur, sediada em Porto Alegre, comprou a operação de serviços da Venti, empresa de consultoria da mesma cidade que fazia a gestão executiva do empreendimento.

Com a mudança, Sandro Cortezia e Tiago Lemos, passarão a se dedicar de maneira exclusiva à aceleradora, com um pagamento fixo, um plano de metas a ser cumprido e reporte ao conselho de administração da organização.

A nova empresa está de mudança para o Tecnosinos, parque tecnológico da Unisinos em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre. A meta é ter unidades de apoio junto aos principais parques até 2016.

Tanto Cortezia como Lemos já eram sócios da Ventiur, cujo capital para investimentos foi alavancado no começo de 2012, quando 12 empresários fizeram um aporte de R$ 600 mil na empresa, com o plano de investir R$ 9 milhões em negócios inovadores até o final de 2015.

Participam do grupo empresários gaúchos como Fabio Defferrari (Defferrari), Fábio Furtado Ramos (Grupo Ciberbras) e Márcio Coelho (Brivia). 

A eles se agregaram outro grupo de 21 sócios-investidores, dentre os quais diversos nomes de destaque no cenário empreendedor do país, como Luis Fichman (CEO da Readers Digest), Marco Stefanini,  Fábio Ramos (Axur/Ciberbras), Robinson Klein (Cigam), Régis Haubert (Exatron), entre outros.  

Além da aceleração de startups, que permanece sendo o foco de atuação, a Ventiur passa a oferecer serviços de captação de recursos e alavancagem para outras pequenas empresas inovadoras,  programas de capacitação empreendedora e aceleração corporativa para médias e grandes empresas. 

“Estamos gerando uma empresa com competências únicas, que pavimentará as bases da nova economia ao conectar a aceleração de startups com um processo amplo de open innovation”, afirma Sandro Cortezia, CEO da Ventiur.

Nos últimos cinco anos, a Venti captou para empresas clientes mais de R$ 10 milhões em recursos a fundo perdido do governo através da participação em diversos editais. Cigam, Engevix e Metadados são alguns dos clientes.

A Ventiur já acelerou duas empresas com seus recursos e recebeu um gás extra no começo de 2014, quando foi selecionada para ser uma das 12 aceleradoras qualificadas para operar o Programa Startup Brasil.

O programa do governo federal oferece recursos de até R$ 200 mil do governo federal a fundo perdido para empresas nascentes de tecnologia. Uma vez selecionadas, as startups podem receber  um aporte financeiro da aceleradora, que pode variar de R$ 20 mil a R$ 200 mil para inserção no mercado. 

A meta do governo é colocar até 2015 cerca de R$ 60 milhões em 300 novas empresas.

Veja também

MGTI
Minas Gerais quer ser 1ª em TI

Conheça a estratégia mineira para ser tornar um polo de TI nacional.

SUA IDEIA NA PRÁTICA
Competição fomenta cultura de startups

A disputa é dividida em cinco etapas, da definição do problema à apresentação para jurados.

INTERNACIONAL
Qranio entra na Ásia com China Mobile

O plano é usar a China como país-base para coordenar as atividades no continente asiático.

ESTARTE.ME
Startup lança app de cursos de gastronomia

O Pepe é uma plataforma baseada em conjuntos de vídeos curtos, pensados para dispositivos móveis.

STARTUPS
Cinco fazem pitch no Venture Capital inBrazil

Grupo é formado por três catarinense, uma startup do Ceará e uma de Alagoas.

SAÚDE
Doutíssima: aporte de fundo britânico

Criada em 2012, a Doutíssima conta com mais de 7 milhões de visitantes únicos por mês.

CRESCIMENTO
00K: aportes de Mercado Livre e Wayra

Startup vai receber aporte do MercadoLibreCommerceFund e um co-investimento da Wayra.

EMPREENDEDORISMO
IBM se aproxima do Start-Up Brasil

Big Blue oferece consultoria para novatos.

SEU NEGÓCIO
Startups: sócio demais é problema

A cada sócio a mais a chance de fechamento da startup aumenta em 1,24 vez.