Gol, voando alto com Stefanini. Foto: flickr.com/photos/augustophotos/

A Stefanini unificou o suporte de atendimento interno da Gol às áreas de service desk, field services, monitoração e operação do nível 3 das bases de active directory.

O projeto de implementação do projeto começou em dezembro do ano passado e foi concluída em fevereiro deste ano, visando por em funcionamento um ponto único de contato para clientes internos e equipes de TI orientado pela metodologia de serviços de tecnologia ITIL.

De acordo com nota da Stefanini, o projeto reduziu em mais de 30% os custos com a sustentação e infraestrutura.

“Foi uma implantação de alto risco, desenvolvido em plena alta temporada, mas gerenciamos bem os riscos”, diz Tiago Machado, gerente de negócios da Stefanini.

As empresas aéreas precisam desesperadamente fazer o melhor gerenciamento de recursos possível, em meio ao desaquecimento da demanda por passagens e a alta do custo do combustível de aviação.

A segunda companhia aérea do Brasil, atrás apenas da TAM, a Gol fechou 2012 com perdas de R$ 1,5 bilhão, o dobro do registrado no ano anterior.

O aperto de cintos já está produzindo resultados: a GOL registrou lucro operacional de R$ 101 milhões no primeiro trimestre deste ano, o que representa um crescimento de 1.293,2% ante os R$ 7 milhões anotados ao final de março de 2012.