MAIS DE US$ 5 BI

Xiaomi e Foxconn investem alto na Índia

10/08/2015 14:01

India recebe investimentos da Xiaomi e Foxconn. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A chinesa Xiaomi e a multinacional Foxconn anunciaram investimentos altos para a fabricação de equipamentos e smartphones na Índia.

A Xiaomi, que recentemente trouxe seus aparelhos no Brasil, firmou uma parceria com a Foxconn para ter uma planta de fabricação no país. Prevista para iniciar no próximo ano, a empresa não deu detalhes sobre qual será a produção ou o investimento para este projeto.

Segundo destaca a Reuters, a planta será focada na montagem de telefones celulares na Índia, buscando cortar custos e obter uma fatia maior no terceiro maior mercado de smartphones do mundo.

O mercado indiano, no qual a Xiaomi entrou em julho do ano passado, tornou-se rapidamente seu segundo maior mercado, conforme os telefones baratos e cheios de funcionalidades da empresa atraem clientes mais jovens e com interesse de economizar.

Além disso, a Foxconn anunciou esta semana um investimento de US$ 5 bilhões em uma fábrica de eletrônicos na Índia, buscando suprir a demanda por infraestrutura e fornecedores para a fabricação de smartphones no país, forçando a maior parte das mais de 100 empresas locais a obter seus produtos de China e Taiwan.

Produtora de dispositivo para Apple, Samsung, HP, Sony e outras marcas, a Foxconn pretende abrir fábricas e centros de pesquisa e desenvolvimento no país.

Com o anúncio, a companhia também quer sedimentar sua posição no mercado indiano, que tem expectativa de chegar à marca de 174 milhões de unidades vendidas em 2017, passando os Estados Unidos, conforme aponta a consultoria Strategy Analytics.

Veja também

INTERNET DAS COISAS
Xiaomi: de celulares à rede elétrica

Empresa quer ir além dos smartphones, lançando produtos como extensão elétrica, balanças conectadas e smart TV.

SMARTPHONES
ZTE terá fabricação local

 A empresa chinesa firmou uma parceria com a Evadin, de Manaus.

ACABOU O AMOR
Smartphones: caem as vendas no país

Levantamento do IDC aponta uma desaceleração de 16% das vendas em maio e uma queda na projeção de vendas em 2015.

MIMIMI
Início da Xiaomi gera insatisfação

Muitos consumidores que tinham feito o pré-cadastro para garantir seu aparelho não concluiram a compra.

MUDANÇAS
Samsung: os dias de glória chegam ao fim

Empresa teve queda no share de smartphones e perdeu o momento de alta no mercado.