O governo está em fase de implantação do sistema Gestão de Demandas de Governo. Foto: Daniela Barcellos.

O governo do Rio Grande do Sul está em fase de implantação do sistema Gestão de Demandas de Governo (GDG), desenvolvido pela Procergs. 

A informatização do processo de encaminhamento das demandas gerou uma economia de R$ 37 mil nos custos de papel, correio, envelopes e impressão do Gabinete do Governador (GG), nos primeiros três meses do ano. O valor equivale a uma redução de 92,5% nos gastos operacionais. 

"Optamos por esta ferramenta de gestão que prioriza a economicidade, a desburocratização da máquina e gera eficiência, alguns dos principais princípios da administração pública e que favorece o gestor", afirma o chefe de Gabinete do Governador, João Carlos Mocellin.

O GDG liga via digital as 21 secretarias e as vinculadas, agilizando o andamento dos pleitos que, tradicionalmente, ingressam pelo protocolo da Casa Civil no formato físico.

A técnica científica do estado lotada no GG, Magdalena Peduzzi Protskot Szabo, afirma que o processo com meio físico, como é a prática usual, demandaria uma média de sete ofícios por pleito e dois dias para chegar ao órgão competente. 

"Com a informatização do processo, o ofício que chega ao protocolo da Casa Civil precisa de apenas três cliques para chegar à secretaria responsável pelo pleito", explica. 

De acordo com a Procergs, o sistema de demandas aperfeiçoará o processo de solicitações feitas pela população e organizações do estado, como sindicatos ou prefeituras do interior, ao direcionar cada caso à secretaria competente de forma mapeada.

Os documentos entregues em papel são digitalizados e enviados via online. A partir da identificação da demanda, o cidadão terá o atendimento direcionado aos órgãos competentes.

O software ainda funciona como repositório digital, onde é possível a consulta de processos antigos de um mesmo tema por busca específica.