Certificadas são de Bogotá, na Colômbia. Foto: .flickr.com/photos/alexfel

A Softex realizou as primeiras cinco avaliações MPS no exterior, em cinco empresas colombianas: Digital Ware, Novasoft, Ecoinfo e S2C, todas de Bogotá, foram avaliadas no nível G do modelo MPS-SW e a Sysman, com sede em Paipa, no nível F.

Segundo Nelson Franco, gerente da Qualidade na Softex, estas avaliações marcam o início da internacionalização do modelo MPS. 

“Estão previstas novas avaliações MPS-SW (Software) em outros países, em 2014 e nos próximos anos, tanto no Projeto BID/FOMIN RELAIS, em fase de conclusão, quanto no âmbito da iniciativa MPS Global, que está começando agora”, adianta Franco.

As cinco avaliações MPS na Colômbia foram realizadas pelas avaliadoras Cristina Ângela Filipak Machado e Juliana Herbert, sob coordenação da Softex e organização do ESICenter Sinertic, no âmbito do Projeto de Melhoria da Qualidade dos processos de software em PME da América Latina e Caribe (BID/FOMIN RELAIS – Rede  Latino Americana da Indústria de Software).

Parte do processo de internacionalização passa também por ter instituições avaliadores estrangeiras, o que aconteceu pela primeira vez em fevereiro desde ano, quando foram aprovadas a Liveware, Inc., de Austin, no Texas, a Escampi S.A., subsidiária da Liveware em Buenos Aires. Ao todo, o Brasil já tinha 13 instituições avaliadoras, consultorias que podem conceder o selo de qualidade.

No Brasil, o Programa MPS.BR já conta com 551 avaliações MPS-SW publicadas em desde setembro de 2005 até agora, tanto em mPME (70%) quanto em grandes organizações (30%). 

A meta da Softex para este ano é superar a marca de 600 avaliações MPS-SW. Além disto, já conta com cinco avaliações publicadas do novo modelo MPS-SV (Serviços).