Ezequiel Archipretre, CEO da Superdigital. Foto: Divulgação.

O Santander divulgou nesta semana a transformação da ContaSuper, fintech adquirida pelo banco no ano passado, em Superdigital. A mudança de nome acompanhou o relançamento da plataforma.

Originalmente uma empresa de cartão pré-pago, a ContaSuper teve 50% de seu capital adquirido pelo Santander em 2015. No ano passado, o banco assumiu o controle da empresa com a compra da fatia restante. 

Para o cargo de CEO da Superdigital, a empresa nomeou Ezequiel Archipretre, profissional de carreira do Santander.

Na época da aquisição, a ferramenta contava com cerca de 360 mil clientes. Agora, acaba de alcançar 1 milhão de clientes. 

A nova solução foi desenhada para que o usuário interaja com seus contatos e faça transações como se estivesse em um aplicativo de mensagens, mesmo com quem não possui Superdigital – pois a plataforma é integrada ao sistema financeiro nacional.

“A integração com o sistema financeiro e a interface amigável da Superdigital são nossos grandes diferenciais. Não somos um ecossistema fechado. Qualquer pessoa pode ser um usuário Superdigital, independente do banco em que tenha conta ou se não tem conta bancária” afirma Archipretre, segundo a Revista Amanhã.

Os usuários da Superdigital podem rachar contas pelo chat e fazer vaquinhas digitais para arrecadar valores com seus contatos, o que inclui fazer e receber transferências de bancos tradicionais. 

A plataforma também permite recarregar celulares pré-pagos e cartões de transporte público, pagar contas, fazer saques nacionais e internacionais – em até 10 diferentes moedas estrangeiras – e realizar compras on-line ou em lojas físicas. 

As assinaturas para usar a ferramenta variam entre R$7,90 e R$11,90.