FORTE NO FACEBOOK

MyGloss: e-commerce com Magoweb

09/09/2013 17:32

Franquia de moda investe R$ 1 milhão em e-commerce desenvolvido pela gaúcha Magoweb.

Rodrigo Stocco. Foto: divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

A MyGloss Acessórios, franquia de moda que conta com 11 lojas físicas em São Paulo, Mato Grosso do Sul, Pará, Sergipe e Distrito Federal, acaba de investir R$ 1 milhão em um e-commerce desenvolvido em plataforma Magento.

A meta é atingir R$ 10 milhões em vendas com a nova plataforma, o que renderá um faturamento de 67% da receita total estimada para este ano, projetada para R$ 15 milhões.

A aposta na e-store se baseia na boa experiência da marca no meio virtual: conforme Rodrito Stocco, CEO e fundador, a página da companhia no Facebook soma 1, 5 milhão de fãs e tem alcance semanal de 5 milhões de pessoas.

“O objetivo com a nova frente é aproveitar o fluxo e o sucesso já conquistado nas mídias sociais. No início, as vendas serão exclusivas para os nossos seguidores, para privilegiar quem já nos prestigia e, em um segundo momento, abriremos para o grande público”, comenta o executivo.

Eleita este ano a segunda melhor franquia de acessórios do Brasil em pesquisa da Serasa Experian, a MyGloss também pretende crescer no ambiente físico.

Além das onze lojas em operação atualmente, mais doze contratos de franquia estão assinados para inauguração nos próximos meses, nas cidades de Goiânia, Granja Vianna, Fortaleza, Ribeirão Preto, Recife, Petrolina, Sorocaba, Campinas, São Bernardo e Bauru.

O investimento em uma franquia MyGloss é R$  R$ 330 mil, mais ponto comercial. A taxa de franquia é de R$ 45 mil, com projeção de retorno de aproximadamente 24 meses e faturamento médio mensal de R$ 70 mil.

Outros investimentos também estão no foco, como o lançamento recente de um serviço de  personal stylist full time no ponto de venda – traduzindo, uma ajudinha básica para as clientes escolherem e comporem looks arrasadores.

É claro que tanta especialização em moda tinha de ter o dedo de uma mulher – a irmã de Rodrigo, Kátia Stocco, que é estilista e arquiteta, é co-fundadora da marca.

Segundo ela, o sucesso vem de vários diferenciais, como o fato de ter iniciado pelo meio online antes mesmo de ter uma loja, a aposta em acessórios que fujam do conceito de imitação de joias.

Entre os itens de produção própria, há cerca de 600 modelos entre bolsas, cintos, lenços, colares, acessórios de cabelo, brincos, pulseiras e anéis, com preços que variam de R$ 19 a R$ 499.

Veja também

EFEITO DAFITI
Submarino lança loja de moda

E-commerce passa a oferecer produtos de 100 marcas como Polo Ralph Lauren, Levis e Timberland.

Intel investe em startups de moda no BR

Duas startups brasileiras voltadas para a moda são os mais novos integrantes do portifólio de aportes da Intel Capital, braço de investimentos de capital de risco da Intel. São elas a Coquelux e a Fashion.me.

Segundo a Intel, o aporte foi realizado por conta da atuação destacada de ambas as empresas no mercado de moda online, categoria foi responsável por 6% das vendas no e-commerce nacional, com movimentação de R$ 840 milhões, em 2010.

COSMÉTICOS
Luiza leva e-commerce por R$ 25 mi

Parceira do varejista há dois anos, empresa cresceu 60% no período, com receita de R$ 15 mi.

FLORIANÓPOLIS
Flexy: e-commerce na nuvem da Amazon

Empresa fundada este ano integra vendedor, canais, fornecedores e cliente final em nuvem.