Carl Icahn. Foto: reprodução

Tamanho da fonte: -A+A

O investidor Carl Icahn enviou uma carta pública aos acionistas da Dell nesta segunda-feira, 09, na qual afirma que não fará mais qualquer esforço para contrariar a oferta de compra da empresa pelo fundador, Michael Dell, e pelo fundo de investimentos Silver Lake, e chama o conselho da companhia de ditador.

Na carta, Icahn afirma acreditar que o preço a ser pago por Michael Dell e Silver Lake para adquirir a empresa vá “desvalorizá-la muito”, entre outras razões, porque “a Dell está pagando um preço cerca de 70% abaixo da sua maior alta em dez anos, de US$ 42,38” e porque “o lance impede os acionistas de qualquer possibilidade de realizar o grande potencial da Dell”.

O investidor também sugere, na carta, que irá questionar o acordo de compra da companhia na justiça.

“Embora devamos respeitar as leis, acreditamos que elas podem e devem ser mudadas. Entre muitas outras coisas, os conselhos de administração não deveriam ser autorizados a tratar as votações de maneira totalitária como as ditaduras fazem; se eles perdem, eles simplesmente ignoram os resultados", afirma Icahn.

Descontente ou não com os termos da venda, o investidor pode lucrar cerca de US$ 70 milhões com sua aplicação de seis meses na fabricante de computadores, caso a proposta de Michael Dell seja aprovada na quinta-feira, 12, informa o Wall Street Journal.