Gerry Fay. Foto: Divulgação

A Avnet, distribuidora norte-americana de componentes eletrônicos, produtos de computação e de tecnologia embarcada, abriu em Joinville uma Central de Integração de onde pretende exportar mais de 135 mil sistemas por ano.

A instalação de 4.500 m² é a primeira da América Latina, se soma às da América do Norte, Europa e Ásia-Pacífico, e terá atuação forte em configurações complexas de sistemas e personalização de software.

A nova central encorpa a estratégia da norte-americana para crescer na região Sul, onde iniciou atuação direta em Porto Alegre em 2011, um ano após chegar ao Brasil por meio da aquisição da Bell Micro e da Tallard.

Na época da abertura na capital gaúcha, a Avnet divulgou projeção de obter na região Sul cerca de 15% a 20% de seu faturamento nacional, trabalhando com soluções de fabricantes como IBM, Oracle e Apple, entre outros.

Como as demais centrais da companhia, a de Joinville oferece serviços de integração para clientes da Avnet Embedded e fabricantes de equipamentos originais (OEM) da Avnet Technology Solutions, revendedores de valor agregado (VARs) e parceiros da cadeia de suprimentos.

“Integração de hardware, manutenção de sistemas, diagnóstico e teste funcional, bem como amplas soluções de suporte em embalagens e em soluções de logística também estão na oferta”, explica Gerry Fay, diretor principal de Operações e Logística Global da Avnet.

O local também terá um laboratório de primeiros artigos, uma equipe de engenharia de tecnologia e uma central de atendimento com espaço de armazenamento de alta baia.

“Joinville é uma importante adição aos recursos de serviço global da Avnet Embedded", afirma Chuck Kostalnick, vice-presidente sênior da operação de tecnologia embarcada. “A central ajudará empresas locais que buscam os serviços e as globais que queiram expandir suas pegadas na região”, completa.

A companhia não divulgou o investimento realizado na operação joinvilense, nem as metas de faturamento para 2012.

No ano fiscal encerrado em julho de 2011, a companhia fechou com receita de US$ 26,5 bilhões.

A companhia atende a mais de 100 mil clientes em 70 países.

No Brasil, a sede fica em São Paulo, e a rede de parcerias tem mais de 500 canais.

BOMBANDO
A mira em Santa Catarina também é estratégia de outras diversas empresas da TI.

No mês passado, a Thomson Reuters também investiu em Joinville, e alto: foi R$ 1 milhão, inicialmente, para triplicar a área da operação da empresa no município, iniciada com a aquisição da Conceito W em setembro de 2011.

A cidade catarinense é o primeiro local no Brasil – de um total de três – que acolherá um centro de desenvolvimento da empresa de onde sairão novas soluções.

Além desta, a Sonda IT também investe na cidade, onde abriu uma regional em 2011 e, em junho de 2012, firmou uma parceria para qualificação de mão de obra que envolveu a transferência das instalações para o Inovaparq, polo de TI do município.

Em março deste ano, foi a SAP que abriu um polo de formação de mão de obra no Norte de Santa Catarina, em parceria com universidades e empresas de Blumenau e Jaraguá do Sul.

Nem só de multis vivem os investimentos na região: em janeiro de 2012, a caxiense Integrasul, especializada em segurança da informação, escolheu Joinville para inaugurar sua primeira filial.

De lá, a meta é incrementar em 35% o faturamento geral, que a companhia prefere não abrir.