A Alcis é forte nos chamados recintos alfandegários. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

A Senior, empresa catarinense de sistemas de gestão, reforçou sua presença na área de logística comprando a Alcis, uma companhia de São Paulo focada na área.

O valor do negócio não foi divulgado.

Fundada em 1999, a Alcis tem softwares de gestão de transportes e de armazéns (TMS e WMS, nas siglas em inglês que todo mundo adora). 

Um software de WMS cuida da vida dentro do estoque. Com o TMS, é a vida da porta para fora, ajudando no planejamento das rotas e nas coletas automáticas, visando redução de distâncias, tempos e veículos em operações de transporte e distribuição.

A Alcis é especialmente forte em empresas que fazem o armazenamento de produtos frios e também no mercado de armazéns de produtos para a exportação, os chamados recintos alfandegários.

Entre os 110 clientes da Alcis estão nomes como Eucatex, Profarma, TCP (Terminal de Contêineres de Paranaguá), Multilog, Lojas Lebes, Amanco, Krona e Tigre.

A Senior é conhecida por seus sistemas de gestão, acesso e folha de pagamento, mas tem um pezinho em logística, um setor que cresceu muito com o boom do e-commerce em 2020.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Operadores Logísticos (ABOL) junto à Fundação Dom Cabral, o faturamento anual das empresas operadoras de logística cresceu 23,8% em 2020.

Resultado positivo no setor logístico deve se manter em 2021. Segundo a Ebit|Nielsen, o e-commerce no Brasil deve ter um aumento de 26%, atingindo um faturamento de R$110 bilhões. 

No ano passado, a Senior reforçou essa área, ao passar a gerir a carteira de clientes de TMS da Opentech, uma startup de logística também sediada em Joinville.

Marcas como Magazine Luiza, Centauro, Evino e Fast Shop estão entre os clientes da companhia.

A Senior fechou 2019 com uma receita de R$ 431 milhões, uma alta de 29% frente aos resultados de 2018.

Diversificação e compras devem levar a Senior a bater a sua meta de médio prazo, que é atingir um faturamento de R$ 1 bilhão até 2023.