Bert Milan, vice-presidente da Palo Alto para a América Latina. Foto: Divulgação.

A Palo Alto, que abriu operações diretas no Brasil em 2012, passou os últimos anos construindo uma rede de canais de vendas por aqui, que agora deve ser fortalecida e descentralizada.

“Os negócios da empresa no Brasil ainda estão muito concentrados em São Paulo, mas com a recente abertura de uma unidade em Porto Alegre e a aproximação com canais, temos a oportunidade de aumentar o alcance e servir mercados diferentes de maneiras diferentes”, explica o novo vice-presidente da Palo Alto para a América Latina, Bert Milan.

Milan está na companhia há cerca de três meses, vindo da F5 Networks, onde atuou como vice-presidente de vendas para América Latina e Caribe. Antes, passou três anos na Blue Coat, também com atuação focada na região latina.

A operação na capital gaúcha mencionada pelo executivo começou a funcionar há poucos meses e foi a quarta aberta no país, depois de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

O escritório é comandado por Bruna Gabech, ex-gerente de território da PromonLogicalis em Porto Alegre, e Lisandro Silva, ex-gerente de desenvolvimento de negócios da Liggo Networks, uma revenda especializada em segurança e redes.

“Nosso programa, chamado Next Wave, está sendo digerido pelos parceiros. Nosso foco está em garantir a compliance do programa e que os parceiros estejam se beneficiando com ele”, afirma Milan.

Segundo o novo vice-presidente, a empresa tem cerca de 40 canais no Brasil atualmente. Por questões consideradas estratégicas, a companhia não divulga o nome de todos os parceiros.

No site de canais da Palo Alto, é possível localizar 16 deles: Agility (São Paulo), Proof (Rio de Janeiro), Netsul Informatica (Porto Alegre e Brasília), Cipher (São Paulo), Alsar (Brasília), Morphus (Recife, Fortaleza e Rio de Janeiro), TDec (Porto Alegre e São Paulo), Avantsec (Brasília) Teltec Solutions (Florianópolis) Ten Sistemas (Rio de Janeiro), Compwire (Curitiba), Negocios Integrados (Curitiba) Ganesh Technology (São Paulo), TI Safe (São Paulo e Salvador) Trust Control (Fortaleza) e TechDEC (Porto Alegre).

Segundo ele, a empresa está focada em estabelecer a marca nos mercados em que já tem presença por meio de parceiros ou clientes.

Hoje, o total de clientes já chega a cerca de 300 clientes no país, o maior mercado da companhia na América Latina, seguido pelo México. 

“No Sul, já tínhamos clientes por um tempo antes de abrir a filial, então provavelmente vamos seguir um padrão semelhante para chegar ao Nordeste, com o apoio das equipes do Rio ou de Brasília”, explica o novo vice-presidente.

Além disso, a empresa conta com as distribuidoras Allier, Westcon e Arrow, que ingressou no grupo há cerca de um ano, logo no início de sua operação brasileira.

“Temos uma boa presença na América Latina, apresentando ainda um crescimento significativo em companhias de grande porte e do segmento financeiro. Também vemos um bom movimento para atrair operadoras de telecom”, completa Milan.

O diretor ainda cita o segmento de governo como uma área de destaque na Palo Alto.

“Muitas agências governamentais da América Latina fornecem serviços para a população utilizando soluções de segurança da Palo Alto para proteger os dados e entregar serviços”, relata.