Rafael Martins, CEO do Grupo Máxima.

O Grupo Máxima, uma holding de empresas de tecnologia focadas no mercado de abastecimento, está implementando home office permanente para os seus 180 colaboradores, mostrando que a nova tendência está emplacando também em empresas médias fora dos grandes centros.

No espaço físico que funcionavam todas as operações, em Goiânia, ficará agora um “hub de inovação”, uma mistura de escritório para quem quiser com coworking para empreendedores do segmento.

“Queremos contribuir com a inovação e estimular a comunidade tecnológica para descobrirmos novos talentos que muitas vezes não têm espaço para desenvolver suas ideias”, comenta o CEO do Grupo, Rafael Martins.

Como muitas outras empresas de tecnologia, o Grupo Máxima aderiu ao coronavírus de sopetão em março do ano passado, com a chegada da primeira onda da pandemia no Brasil e acabou descobrindo que o novo modo de trabalhar não afeta os resultados.

O faturamento do grupo aumentou em 5% no ano passado, com o lucro aumentando em 18%, uma cifra de crescimento seis vezes maior do que a do ano anterior. 

A holding Grupo Máxima foi criada em 2018, após uma sequência de aquisições realizadas no mercado para atender os processos que envolvem a cadeia de abastecimento.

Entre as empresas que passaram a fazer parte do conglomerado estão a Tecnomix e a OnNet System, que tiveram seus produtos incorporados à operação MáximaTech, que oferece soluções de força de vendas, trade marketing e logística de entrega para o mercado atacado distribuidor, e passou a incluir soluções para a indústria.

Integram-se também ao Grupo a LifeApps, responsável pela oferta de e-commerce B2B e B2C, e a Onblox, incorporada para aumentar a capacidade de atendimento das demandas logísticas.