Eduardo Floriano. Foto: divulgação.

A Sonda IT, multinacional integradora de soluções de TI, nomeou Eduardo Floriano, ex-Softtek, como o novo diretor de serviços de gerenciamento de aplicações (AMS, na sigla em inglês) da companhia.

O executivo, que era gerente de produto da Softtek até fevereiro deste ano e entrou na Sonda para coordenar a parte de delivery AMS, agora tem o objetivo de dirigir o setor.

Segundo destacou a integradora em nota à imprensa, a meta de Floriano é consolidar no mercado uma oferta com valor agregado aos clientes, focando principalmente em redução de custos, ganho de produtividade e estabilidade das operações das empresas.

“O cenário é positivo devido o AMS ser um atrativo ao atual momento na qual passa a economia brasileira, visto que as companhias buscam a redução de custos operacionais e a agilidade no atendimento ás necessidades do negócio como forma de manter a vantagem competitiva”, explica Floriano.

Com 16 anos de carreira, o executivo é formado em Ciências da Computação e possui MBA em Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas. Além da Softtek, empresa em que ficou 10 anos, Floriano teve outra passagem pela Sonda, na qual foi gerente de projetos.

Floriano é o segundo executivo a coordenar a área, criada em 2013 na companhia. Na época, Douglas Lopes da Costa, ex-Elektro, foi o incumbido de comandar a divisão.

Nos últimos tempos, AMS aos poucos se tornou um dos maiores mercados potenciais para muitas das integradoras nacionais, que remanejaram recursos para a área.

A Stefanini abriu centros de serviços compartilhados de ERP em Curitiba, Rio de Janeiro e Jundiaí, no interior de São Paulo, focados em oferecer AMS para os sistemas de gestão da SAP e Oracle.

A Meta, uma empresa de serviços de TI sediada em São Leopoldo como uma prática SAP forte, estruturou recentemente uma área de AMS.

Além disso, estão no mercado de AMS as consultorias especializadas em SAP, que conseguem competir com grandes players mais diversificados como a Sonda. No final do ano passado, a Pelissari, de Curitiba, tirou o contrato de AMS da CMPC Celulose Riograndense da Sonda, por exemplo.