Ney Leal.

A Softex acaba de somar duas novas entidades a sua rede: a Software by Maringá (SbM) e a Comunidade Tecnológica do Estado de Goiás (Comtec).

Com isso, a OSCIP,  equivalente para o setor de tecnologia da agência de promoção de exportações Apex, tem agora 22 agentes pelo país.

A Softex oferece programas desde o ingresso no mercado até auxílio para exportação, internacionalização, obtenção de recursos financeiros e acesso a informações de inteligência de mercado.

Recentemente, a entidade passou a ser a gerir o programa de fomento de empresas inovadoras do governo federal Startup Brasil. Outro programa de destaque que usa recursos federais é a iniciativa de qualidade de software MPS.BR.

A área de atuação da Software by Maringá  abrange 116 municípios da região Noroeste do Paraná, com cerca de 2 milhões de habitantes. A associação foi criada em 2007 por empresários do setor de TI. São 80 empresas e instituições de ensino e pesquisa associadas.

Já a COMTEC reúne 74 empresas de TI de Goiás, quase um quinto das estimadas 350 existentes na região.

“Aumentar a nossa capilaridade é fundamental para que possamos ampliar cada vez mais a participação das empresas brasileiras em nossos programas, sejam eles de estímulo à criação de novas empresas de base tecnológica ou de apoio à internacionalização”, avalia Ney Leal, vice-presidente executivo da Softex 

A Softex atende 2 mil empresas no Brasil e é controlada por um conselho no qual participam meio a meio representantes de entidades setoriais como Brasscom, Abinee, Assespro, ABES e representantes de diversos órgãos de governo como cinco ministérios, o BNDES, IBGE e INPI, além de organizações de modelo misto como Embrapa, Sebrae e CNPQ e o Sistema S.

Os parceiros incluem entidades conhecidas como Riosoft, Softsul, CITS, Softville, Acate e o CESAR, entre outros.