DESPEDIDA

Falece Mandic, ícone da Internet brasileira

07/05/2021 05:21

Empreendedor era uma figura relevante no mercado digital desde os anos 90.

Mandic foi um pioneiro do mercado digital brasileiro. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

Aleksandar Mandic, um dos pioneiros da Internet brasileira e uma figura relevante no ecossistema de inovação do país até hoje, faleceu aos 66 anos vítima de complicações de uma leucemia.

O filho de Mandic comunicou o falecimento no Twitter, sem dar maiores detalhes. Segundo o Brazil Journal, Mandic estava hospitalizado há seis meses, à espera de um transplante de medula óssea.

Mandic é um dos pioneiros da Internet brasileira, tendo deixado uma carreira bem sucedida na Siemens em 1990 para fundar a Mandic BBS, com um capital de US$ 1200, um PC 286 e uma linha telefônica (alguns relatos falam em duas linhas).

Como os dinossauros da Internet sabem, os chamados BBS foram os precursores da Internet como nós conhecemos hoje.

O empreendimento de Mandic evoluiu para um provedor de acesso a Internet, vendido em 1997 para um grupo argentino por R$ 40 milhões.

Em 1999, um ano depois de vender a Mandic BBS, o empreendedor fundou, juntamente com o publicitário Nizan Guanaes e o jornalista Matinas Suzuki Jr, o portal de notícias e conteúdos iG, outro marco da Internet brasileira, onde atuou como vice-presidente até 2001.

Quando saiu do iG, Mandić resgatou a marca de sua primeira companhia e criou a Mandic Mail, depois rebatizada de Mandic Cloud Solutions e vendida em 2012 para a Riverwood Capital por R$ 100 milhões. 

Há duas semanas, a gestora vendeu 100% do negócio para a Claranet, uma multinacional britânica de computação em nuvem.

Mandic escreveu um livro, chamado “Mandicas”, agrupando uma série de frases motivacionais e de efeito, uma paixão do empresário (uma das melhores: “Se mentir, seja breve”). 

O empresário tinha interesses diversos, se lançando por exemplo candidato a deputado federal pelo DEM em 2010, eleições nas quais conseguiu 10 mil votos, um bom resultado para um iniciante, mas longe do necessário para entrar no Congresso.

Em 2008, Mandic foi diretor de tecnologia do Jockey Club de São Paulo, onde tentou implementar ideias para digitalizar corridas de cavalo, algo em alta hoje em dia.

Em 2014, Mandic lançou o Mandic Magic, um aplicativo para localização de redes wifi ainda em funcionamento.

O Brazil Journal trouxe alguns depoimentos sobre a figura de Mandic, entre os quais um dos mais interessantes é o de Nizan Guanaes, CEO do iG na época da fundação.

“Você estava andando no prédio do iG e olhava pro lado e o chefe de TI estava tomando vinho e andando descalço, mas do nada ele tinha um insight e te dava uma ideia brilhante que mudava todo o rumo da empresa”.

Segundo Nizan, Mandic “era um fazedor de dinheiro, mas não era uma pessoa que o dinheiro engoliu. Ele veio ao mundo pra se divertir.”

Veja também

NUVEM
Claranet anuncia aquisição da Mandic

A Riverwood Capital, principal investidora da comprada, terá uma participação na compradora.

RESULTADO
Mandic fatura R$ 130 milhões em 2018

A empresa registrou um crescimento de 40% em relação ao resultado de 2017.

ÍCONE
Falece Joseph Elbling, fundador da Digicon

Empresário foi um dos pioneiros da indústria eletroeletrônica no Rio Grande do Sul.

PERDA
Walter Nique falece com Covid-19 em Madri

Ex-professor da UFRGS foi uma figura importante no meio empresarial gaúcho.

ECOSSISTEMA
Ex-IBM assume hub de inovação da Capgemini

Silvio Dantas será diretor do Applied Innovation Exchange brasileiro, lançado em 2020.

VENTURES
Tivit vai investir R$ 400 milhões em startups

Valor deve ser destinado a aportes em até 10 empresas por ano nos próximos cinco anos.

LABS
Tivit investe R$ 20 milhões em hub de inovação

Projeto teve início em fevereiro e espaço físico deve ser inaugurado no final do ano.

CARREIRA
Mandic Cloud tem novo VP comercial

No último ano, o executivo foi diretor de vendas da Accenture.