Marcio Dobal, presidente da SAS para o Cone Sul. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A SAS, empresa de soluções e serviços de análise de TI, registrou números inéditos em sua receita em 2012. A companhia fechou o ano com faturamento de R$ 2,87 bilhões, com a América Latina representanto 47% deste total.

No Brasil a meta da SAS foi abaixo do esperado, mas mesmo assim foi registrado um aumento de 8% nas vendas de licenças de software no país. Em 2011, o percentual de crescimento nacional foi de aproximadamente 50%.

O setor de serviços, incluindo consultoria e treinamento, teve um salto de 40% em faturamento, o que contribuiu em 12% para o faturamento geral da empresa no Brasil.

Conforme a empresa, bancos, que formam a maioria entre os usuários das soluções da SAS, reduziram suas compras de software em 2012.

“Esse segmento respondeu por 43% das vendas. No ano anterior foi 60%”, comenta Márcio Dobal, presidente da SAS para o Cone Sul.

Por outro lado, governo e seguradoras ampliaram os investimentos, destacou o executivo. As vendas nesses setores, foram puxadas pelo aprimoramento da gestão de riscos e pela automação de processos, respectivamente.

Para 2013, as apostas da SAS estão em duas frentes: virtual analytics, nova solução da empresa que une análises em tempo real e futura com uma interface simplificada; e eliminação de fraudes com o auxílio de ferramentas de inteligência preditiva.

A SAS também está mirando o mercado de Big Data, de olho em tecnologias para ajudar clientes como bancos a extrair valor de grandes quantidades de dados, conforme aponta Dobal.

“Os tomadores de decisão vão ver rapidamente as vantagens de explorar de forma intuitiva e instantaneamente os dados”, completa.