Caminhões da TA ficarão menos tempo em postos fiscais. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Transportadora Americana (TA) anuncia que emitiu no dia 1º de dezembro de 2012 o Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e), previsto pelo governo federal para etnrar em vigor em 2013.

Para a emissão do primeiro MDF-e do país, a companhia utilizou solução da Synchro, especializada em TI para a área fiscal que atende a mais de 380 empresas, somando 14 mil usuários.

O uso do MDF-e requereu a preparação do sistema de gerenciamento de transporte (TMS) da TA, e com isso a implantação vem sendo feita de maneira gradativa.

Inicialmente, serão emitidos manifestos para viagens de apenas um trajeto, originadas na matriz da transportadora, em Americana-SP, e finalizadas dentro do próprio estado.

Aos poucos a emissão será levada para todos os estados onde a TA opera, o que inclui Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Distrito Federal, Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

O manifesto eletrônico vai substituir o atual formulário modelo 25 para registro em lote de documentos fiscais em trânsito e identificação de unidades de carga.

O objetivo é agilizar as vistorias de cargas nos postos fiscais.

“Hoje há casos de caminhões que ficam parados por horas nos postos fiscais de algumas regiões, aguardando a conferência dos documentos. Isso pode gerar prejuízos incalculáveis para as empresas”, explica Shirley Rosseto, gerente de TI da Transportadora Americana.

Ela destaca que o MDF-e será utilizado pelas transportadoras sempre que existir mais de um conhecimento de transporte associado ao veículo.

Para os demais contribuintes, o documento valerá sempre que promoverem a saída de mercadorias em veículo próprio ou mediante a contratação de transportador autônomo, desde que destinadas a mais de um contribuinte do ICMS.

Nesses casos, o manifesto digital relaciona as mercadorias transportadas com seus respectivos conhecimentos de transporte e notas fiscais.

A diferença se dá porque, quando a viagem é de um remetente para um destinatário, a quantidade de notas fiscais é pequena, o Conhecimento de Transporte (CT-e) é do tipo “Lotação” e não existe a necessidade da emissão do Manifesto.

Este último só é utilizado por empresas de transporte de carga fracionada, que chegam a transportar 100, 200 ou 300 CT-es em um mesmo veículo, com NF-es de remetentes e destinatários diferentes.

“É por isso que a conferência manual de tudo isso fica praticamente inviável”, avalia Shirley. “O CT-e trouxe vantagens internas, como eliminação de papéis e agilidade nos processos de emissão. Já o MDF-e nos dá agilidade quando a carga já está em transporte”, finaliza.

A Synchro atende à TA desde o início do projeto de CT-e, em 2006.

A companhia também atuou no desenvolvimento da solução MDFe Manager, hoje disponibilizada pela Synchro nos modelos SaaS e in house para eliminar a digitação de notas fiscais na recepção de mercadorias pelo transportador e de conhecimentos de transporte pelo destinatário.

Outros clientes da carteira da companhia são C&A, Dell, Embratel, Honda, HP e McDonalds.

Com cerca de 370 colaboradores, a Synchro atua também via canais, oferecendo um portfólio de soluções que incluem cálculo automático de tributos, classificação fiscal de mercadorias, assinatura de conteúdo especializado por meio do portal tributário, entre outras.