Dinheiro da SCIT impulsiona planos de parques. Foto: Flickr.com/jeffbelmonte

A Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (SCIT) vai repassar na segunda-feira, 10, recursos de R$ 6,4 milhões do Programa Gaúcho de Parques Científicos e Tecnológicos (PGTec) a quatro instituições gaúchas.

Os beneficiados são o Tecnopuc, que levou R$ 1,85 milhão; Tecnosinos (Unitec 2), com R$ 1.86 milhão; Valetec, com R$ 1,81 milhão e Tecnovates, R$ 931,5 mil.

Com a liberação dos R$ 6,4 milhões atuais, o total já entregue pela SCIT no PGTec soma R$ 8,3 milhões, de uma verba inicialmente anunciada em R$ 12,8 milhões para o programa.

Conforme a SCIT, os R$ 4,5 milhões que faltam para fechar a conta já estão destinados a projetos aprovados, mas ainda não divulgados por decisão da Fazenda, devido à pendências no cronograma de pagamento.

A SCIT também informa que os R$ 6,4 milhões são referentes ao terceiro quadrimestre do ano.

Indo por aí, pode-se entender que os demais projetos beneficiados pelo PGTec só vejam a cor do dinheiro no ano que vem.

Ainda segundo dados da secretaria, até 2014 os valores liberados pelo programa deverão somar R$ 50 milhões, do que 40% será destinado a parques já consolidados, e o restante a outros 12 empreendimentos em processo de implantação.

Além disso, do total, 85% dos recursos serão destinados para investimento em capital, enquanto o restante irá para custeio.

“Os parques são importantes na atração de novas empresas e, consequentemente, responsáveis pelo desenvolvimento econômico, local e regional”, afirma Cleber Prodanov, titular da SCIT.

OS PROJETOS
Entre os beneficiados pela verba de R$ 6,4 milhões, o Tecnopuc levou seu recurso para o Condomínio de Empresas Inovapuc, focando implantação de infraestrutura para abrigar nove empreendimentos.

O total do projeto é de R$ 2,49 milhões, dos quais R$ 636,9 mil virão de contrapartida da UBEA/PUC-RS.

No Tecnosinos, o projeto aprovado foi a expansão do parque, com a criação de instalações para abrigar 37 novas incubadas.

A iniciativa tem orçamento total de R$ 2,37 milhões, sendo R$ 515,04 mil de contrapartida da Asav/Unisinos.

Para a Valetec, a aprovação foi para o Condomínio Empresarial e Laboratório de Desenvolvimento de Novos Produtos da entidade.

Voltado a viabilizar a permanência de empresas pós-incubadas no Valetec, o projeto soma R$ 2,28 milhões, dos quais R$ 471,22 mil são de contrapartidas da Valetec, Feevale e Wirklich Indústria de Plásticos.

O Tecnovates, sediado em Lajeado, atende a empresas do Vale do Taquari e regiões adjacentes, e teve projeto orçado em um total de R$ 2,42 milhões.

Disso, R$ 1,48 milhão será pago em contrapartida da Fuvates.