Lev, o e-reader da Saraiva. Foto: divulgação.

Entrando na briga com a Amazon e seu Kindle e a Livraria Cultura e seu Kobo, a Saraiva lançou esta semana o Lev, e-reader exclusivo da companhia, que vem em duas versões.

O Lev chega ao mercado em duas versões, uma tradicional, semelhante ao modelo convencional do Kindle, e outra com iluminação traseira para leitura em ambientes com pouca luz.

Segundo informa o IDG Now, o modelo básico custa R$ 299 e o modelo com luz tem preço sugerido de R$ 479, mas estará sendo vendido até o fim do mês por R$ 399.

Ambos os modelos já vem de loja com 14 títulos gratuitos, 10 já embarcados no dispositivo e quatro de livre escolha do leitor para download assim que o Lev é ativado.

As duas versões do Lev contam com touchscreen de 6" e-ink, com peso de 190 gramas e memória de 4GB (capaz de armazenar até 4 mil livros) expansível até 32GB via cartão micro SD.

Além disso, a livraria oferecerá acessórios para o produto, como capas protetoras em diversas cores, que sairão por R$ 59.

Desenvolvido pela Saraiva, a fabricante europeia Bokeen e o Centro de Estudos Avançados do Recife (C.E.S.A.R), o aparelho será oferecido em uma abordagem multicanal, nas lojas físicas e e-commerce da Saraiva e Walmart.

O Lev é fabricado na China, mas a Saraiva entrou com um mandado de segurança para que o produto seja considerado isento de impostos, como acontece com os livros em papel, resultando em um preço competitivo com os e-readers concorrentes.

"Estamos comprometidos em oferecer a melhor escolha para leitura digital, com possibilidade de experimentação do produto nas lojas Saraiva”, afirma Michel Levy, CEO do Grupo Saraiva.

Atualmente, a livraria possui um acervo digital de 30 mil títulos em português, de mais de 600 editores. Quem já é usuário do aplicativo Saraiva Reader em computadores e tablets, pode carregar no e-reader todos os livros digitais já comprados nas outras plataformas.

“Para nós era determinante garantir que o cliente pudesse acessar todos os seus conteúdos de forma rápida e fácil no novo dispositivo, por isso integração da plataforma foi um dos nossos maiores investimentos”, explica Deric Guilhen, diretor de produtos digitais da Saraiva.