Marcio Kumruian. Foto: divulgação.

A Netshoes, e-commerce de artigos esportivos no Brasil, anunciou um novo aporte de capital nesta terça-feira, 06, em uma transação que injetará R$ 400 milhões na companhia, o maior investimento já feito na história da empresa.

A operação será liderada pelo fundo soberano de Cingapura (GIC), que, com isso, receberá uma cadeira na mesa de acionistas da companhia. O GIC entrará com cerca de R$ 170 milhões.

Além do grupo asiático, o restante do investimento parte dos atuais acionistas da empresa, formado pelo grupo de fundadores e quatro fundos de investimentos (Tiger Global, Iconiq, Kaszek Ventures e Temasek).

Os recursos devem entrar no caixa neste mês, e já há uma expectativa de um novo aporte para o segundo trimestre, que pode chegar a R$ 100 milhões, totalizando, na verdade, um investimento que pode chegar a R$ 500 milhões.

A companhia não deu detalhes sobre a participação dos acionistas na companhia após a transação e evitou detalhar a estrutura da operação. Os fundadores do site, Marcio Kumruian e um primo, continuarão como sócios majoritários da Netshoes.

Os recursos levantados serão utilizados para equilibrar a estrutura de capital da companhia, reduzindo níveis de endividamento e de alavancagem, despesas que levantaram nos últimos meses rumores de uma possível venda do controle da companhia.

Nomes como Walmart e Amazon chegaram a circular na imprensa como possíveis interessados na aquisição do e-commerce.

No entanto, conforme Kumruian, a Netshoes não está à venda e nunca esteve, assim como a empresa não contratou um banco para buscar novos sócios.

"Nosso planejamento envolvia um novo aporte agora na busca por uma operação mais sustentável. Saímos do ritmo 'as fast as possible' para um crescimento dentro do máximo possível para ter uma operação que pare de pé", disse Kumruian ao jornal.

A realidade da maioria das empresas de e-commerce no país ainda envolve operações com resultados no vermelho. No caso da Netshoes, a empresa deve informar nesta terça um prejuízo de R$ 53,3 milhões, valor cerca de 16% menor que os R$ 63,2 em 2012.

Mesmo com o avanço e com o aporte, Kumruian não quis se precipitar sobre a possibilidade de fechar 2014 no azul, ou até mesmo em 2015 ou 2016.

"Isso pode acontecer, porque já estamos trilhando esse caminho. Mas R$ 5 milhões no negativo ou R$ 10 milhões no positivo não é a questão aqui", disse o executivo.

O prejuízo da Netshoes atingiu R$ 71,8 milhões em 2013, um recuo de 23% sobre 2012. A receita operacional subiu 21%, para R$ 965,1 milhões, mas no entanto registrou um uma queda no percentual de crescimento do ano anterior, quando teve um aumento de vendas fixado em 65%.

Em 2013, a Netshoes fechou com caixa em R$ 104 milhões, versus R$ 136 milhões em 2012.