Aldo Luiz Mees, diretor presidente da IPM.

Tamanho da fonte: -A+A

A IPM, empresa de Florianópolis especializada em software de gestão para prefeituras, acaba de lançar uma versão em cloud computing da sua solução, o Atende.net.

A novidade recebeu investimentos de R$ 15 milhões ao longo de cinco anos de desenvolvimento e é a primeira solução hospedada na nuvem visando esse mercado, garante a empresa.

“Acredito que é uma questão de três anos para que a nossa base esteja completamente migrada para o novo software”, aposta Aldo Luiz Mees, diretor presidente da IPM.

Hoje, da base de 300 prefeituras atendidas pela IPM, já migraram para o Atende.net cerca de 10, incluindo municípios do porte de Gravataí, cidade de 255 mil habitantes na região metropolitana de Porto Alegre.

As soluções podem ser oferecidas em um data center construído em Florianópolis – outro será montado em Rio do Sul, onde a empresa mantém sua fábrica de software – ou hospedadas na infra dos clientes, como no caso do Tribunal de Contas de Santa Catarina.

A Frost and Sullivan já previu uma  alta dos investimentos em computação em nuvem no Brasil de 74% em 2013,  em relação ao ano passado, chegando a US$ 302 milhões, mas a convicção de Mees é baseado no conhecimento das particularidades da administração pública.

“Os prefeitos querem ter acesso constante aos seus sistemas de gestão, já seja num tablet, notebook, celular” afirma o empresário catarinense, destacando que a necessidade de cobrir diferentes secretarias e órgãos municipais, além de abrir serviços pela Internet à população também incentivam uma abordagem cloud.

Além disso, contratar serviços em cloud significa cortar custos com infraestrutura de TI, diluindo em um aluguel mensal, o que pode ser atrativo para prefeituras com problemas de caixa.