Renato Ramos. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Pedra Branca Cidade Criativa, bairro planejado localizado em Palhoça, firmou uma parceria com a aceleradora Hot Milk para fomentar o desenvolvimento de startups no local.

Criado em 1997 como um projeto de bairro universitário, a Pedra Branca nasceu de uma parceria entre a Unisul e a cidade de Palhoça, na região metropolitana de Florianópolis. Atualmente, o local abriga diversas iniciativas tecnológicas, assim como uma incubadora.

Segundo destaca Renato Ramos, gerente de negócios na Pedra Branca Empreendimentos, a empresa frmou a parceria com a Hot Milk em dezembro. Localizada na PUC-PR, a aceleradora nasceu a partir de um programa de aceleração da universidade, que busca fomentar o empreendedorismo startup.

Em Palhoça, o objetivo a curto prazo é possibilitar a criação de spin-offs - empresas nascidas a partir de grupos de pesquisa de universidade, organizações ou dentro de empresas já residentes na localidade.

"Temos alguns focos com potencial, como TI, softwares para sustentabilidade, games, entre outros. Neste primeiro momento, estamos avaliando projetos que podem ser complementares aos negócios que já temos aqui na Pedra Branca", avalia Ramos.

De acordo com Ramos, o projeto com a aceleradora será dividido em quatro etapas. A primeira delas, que consiste na montagem do polo da Hot Milk no bairro Pedra Branca, deve ser concluída ainda no primeiro semestre de 2015.

"Num segundo momento serão desenvolvidas estratégias de inovação para Pedra Branca. Já na terceira etapa, acontecerá a estruturação e co-gestão de um arranjo produtivo de inovação, e por último, a aceleração de spin-offs", explica o executivo.

Além da participação da Hot Milk e Pedra Branca, o acordo tem a partcipação da Inaitec, incubadora localizada no bairro, Unisul e Prefeitura Municipal de Palhoça. Os investimentos realizados no projeto não foram abertos.

Ramos afirma que esta colaboração pode ter avanços futuros, como a possibilidade de startups aceleradas no projeto com a Hot Milk passarem a integrar o corpo da Inaitec, que atualmente conta com trinta companhias abrigadas.

"A incubadora já possui um projeto de expansão alinhado para os próximos anos e este projeto pode ter um papel importante nesta iniciativa", avalia o gerente.

Para José Pugas, gestor da Hot Milk, o mercado ganhará um cluster, uma concentração de empresas relacionadas entre si, numa zona geográfica definida, que acomodam um polo produtivo especializado com vantagens competitivas.

"Será um caso de inovação de classe global, atraindo investimentos e setores de inovação de empresas, transformando a Pedra Branca em um epicentro de toda uma transformação inovadora, de forma inclusiva e criativa", comenta.

A filial em Pedra Branca é a primeira da aceleradora fora do Paraná. Segundo Pugas, esta expansão faz parte de um ambicioso projeto de conectar a região sul através de uma rede própria de inovação.

"Estamos acertando os últimos detalhes para abrirmos filiais em Blumenau, Florianópolis e uma terceira cidade em Santa Catarina que não podemos ainda abrir", afirma Pugas. Em seus ciclos, a Hot Milk acelera cerca de cem empresas por ano.