IBM aposta nas nuvens. Foto: flickr.com/photos/mnsc/

A IBM anuncia novas soluções de Big Data e computação em nuvem da linha Smarter Computing para empresas de pequeno e médio portes, especialmente de mercados emergentes.

São oito novos servidores Power Systems, três novos modelos da família PureSystems e novos softwares para  os sistemas de armazenamento.

“Responsáveis por quase metade do PIB mundial, as PMEs têm grande dificuldade para adotar big data e cloud computing devido ao custo dos sistemas e ao déficit de competências, sem poder qualificar seus serviços de forma a torná-los mais competitivos em relação às empresas que possuem orçamentos mais elevados”, avalia Ana Zamper, VP de Systems and Technology Group da IBM Brasil.
 
Com o lançamento, a IBM estende a tecnologia do microprocessador Power7+ para sistemas mid range e entry level, oferecendo plataforma melhor do que os chips X86, por exemplo, porque a virtualização, componente principal para computação de big data, está integrada no novo processador.

A empresa ainda anuncia dois novos sistemas PowerLinux – 7R1 e 7R2 – que também rodam em processadores Power 7+ e são direcionados para cargas de trabalho Linux; e os novos Power Systems 750 e 760, para consolidação com escalonamento e provisionamento automático de big data e cargas de trabalho em nuvem.

Os produtos partem do valor médio de US$ 5.94 mil para AIX, Linux ou IBM i.
 
Outra novidade é o PureData System para Analytics desenvolvido com tecnologia Netezza, que oferece capacidade 50% maior por rack e é três vezes mais rápido no processo de análise de dados, garante a fabricante.

A IBM estima que 2,5 hexabytes de dados são criados a cada dia, número tão grande que 90% dos dados existentes no mundo hoje teriam sido criados apenas nos últimos dois anos.

“Como resultado, organizações de todos os portes e em todos os segmentos de mercado têm o desafio de encontrar caminhos mais simples e econômicos para analisar dados e atender melhor às necessidades do cliente”, avalia Ana.
 
Em uma pesquisa recente da companhia, quase 75% dos líderes indicaram que suas empresas testaram, adotaram ou implementaram cloud computing em suas organizações, e que 90% esperam fazer isso nos próximos três anos.

Para que as PMEs possam figurar nestas listas, a IBM aposta na família PureSystems para a nuvem, com promessa de facilitar a automação de serviços e reduzir o consumo de energia em 30%.

“As novas edições de Pure Flex e Flex System para Managed Service Providers (MSPs) também fornecem aos clientes e parceiros da IBM uma plataforma de implementação de nuvem acelerada, de gerenciamento mais fácil e mais econômica do que a opção de criar as próprias plataformas”, afirma Ana. “As novas ofertas permitirão que os MSPs cortem despesas operacionais em até 50%”, completa.