Egídio Dias, CEO da Minovelt. Foto: Divulgação.

A gaúcha Minovelt lançou um sistema focado na gestão de aprendizados e processos de coaching. Com 1 mil clientes atualmente, a empresa espera contar com 5 mil até o final de 2015.

O CAS, como é chamado o sistema, oferece ferramentas que possibilitam maior controle, aproveitamento, armazenagem e análise das informações geradas no processo de coaching. 

O sistema é vendido no e-commerce da empresa por um sistema de assinatura.

A empresa oferece quatro planos: trial, starter, controler e master.assinatura mensal.

O trial é gratuito e tem duração de 30 dias, oferecendo uso para até 15 usuários com suporte via fórum e customização de ferramentas.

Por R$ 150 ao mês é possível assinar o plano starter, que permite o mesmo uso testado no trial.

Já o plano controler, que custa R$ 550 por mês, oferece o uso para até 50 usuários, suporte via e-mail e fórum, prioridade de suporte, sistema de mensagens, customização e duas ferramentas que a empresa considera “avançadas”: análise de competências e stakeholders.

A categoria master tem valor de R$ 1.125 ao mês e não tem limite de usuários. Além das funções do plano controler, inclui jogos e outras ferramentas avançadas.

Os jogos que funcionam como testes específicos que permitem ao coach, a empresa e o gestor avaliarem o nível de abertura e prontidão de colaboradores e clientes para melhorar ou desenvolver novas habilidades.

Além disso, ajudam a reconhecer forças e fraquezas e a identificar e desenvolver competências.

O cliente do coach também ganha acesso a uma interface do sistema.

“O CAS foi idealizado para ser um potencializador da base de clientes do coach e uma ferramenta de gestão da metodologia entre coach e coachee. O coach que utilizar de forma natural e profissional a tecnologia terá uma vantagem na agilidade e na precisão do seu processo”, afirma Egídio Dias, CEO da empresa.

Segundo Dias, hoje a organização dos coaches é feita de acordo com a preferência de cada um, mas geralmente são usadas ferramentas como Word e Excel.

“Os profissionais tem dificuldade em manter registros para analisar o histórico de cada cliente”, relata.

Segundo ele, hoje existem três grandes escolas de coaching no Brasil, que formam de 3 mil a 4 mil alunos por ano.

“Desses, apenas cerca de 30% realmente atuam na área, e nem todos alcançam o sucesso. A ferramenta pode ajudar o profissional no início de carreira a ter uma estrutura organizada, que facilite a entrada no mercado”, explica.

Egídio Dias é formado em comércio internacional pela Unisinos e é especialista em treinamento de competências. Sua empresa de coaching, fundada em 2007, capacitou mais de 4 mil profissionais em treinamento de competências para gestão efetiva e liderança com alto desempenho.