O Google anunciou que está cortando preços de serviços em nuvem. Foto: l i g h t p o e t/Shutterstock.com

O Google anunciou que está cortando os preços de serviços de computação em nuvem. Os descontos em diversas soluções vão de 10% a 79%. O serviço de armazenamento BigQuery teve queda de 23%, por exemplo, enquanto o armazenamento persistente em disco SSD teve redução de 48%

O vice-presidente de engenharia do Google, Joerg Heilig, anunciou as reduções no Google Cloud Platform Live, realizado em São Francisco, segundo o InformationWeek.

A cobrança para Cloud SQL, serviço de banco de dados MySQL, está 25% mais baixa.

Os cortes do Google vão colocar mais pressão na Amazon Web Services, no Microsoft Azure e em outras plataformas de computação em nuvem. 

Embora a Amazon esteja acompanhando o ritmo dos preços do Google, os últimos resultados financeiros decepcionantes da empresa poderiam limitar a sua vontade de continuar esse movimento. 

Ainda assim, o Google precisa atrair novos clientes por anos antes de se aproximar da receita do Amazon Web Services. 

Uma pesquisa da TBR estimou recentemente que a receita da AWS com a infraestrutura de nuvem pública como serviço chegará a cerca de US$ 4,7 bilhões em 2014, em comparação com US$ 156 milhões para a Microsoft e US$ 66 milhões para o Google. 

A empresa observa que a vantagem da Amazon pode ser atribuída a sua vantagem inicial de seis anos como fornecedora de infraestrutura em nuvem.

O Google também introduziu vários novos serviços em nuvem. 

A empresa lançou o Google Container Engine, uma versão hospedada do sistema de gestão de contentores Kubernetes, que o Google desenvolveu e abriu o código no início deste ano. 

Além disso, o Google lançou o Google Cloud Debugger (GCD) beta e Managed VMs for App Engine.