Roberto Cohen. Foto: Divulgação

Open source dá dinheiro. É a aposta da gaúcha Sial Software, que é especializada em help desk e projeta faturar R$ 6,7 milhões até 2015 com o Quaizer, sua solução de código aberto.

A aposta é tão alta que, mesmo com o programa sendo baixado gratuitamente, a empresa espera passar a barreira do R$ 1 milhão já no primeiro ano de mercado do produto, com contratos de suporte, treinamento e implantação.

5% NOS GARANTEM
De acordo com Roberto Cohen, diretor da Sial, a expectativa é ter 200 usuários até novembro deste ano e 400 nos primeiros 12 meses de atuação – se destes, apenas 20 pagarem pelo pacote de serviços, o milhão do primeiro ano já estarão garantidos.

Além disso, para o executivo o custo zero é chamariz e motor para o crescimento do software.

"Quando uma solução adquirida via modelo de licenças dá problema, o gestor poderá ter dificuldades para justificar o investimento", destaca ele. "É um jogo duro, e o cliente fica num conflito psicológico desgraçado. Quando é de graça, ele testa antes de comprometer o bolso”, explica.

MAIS DESENVOLVEDORES
Coehen também aposta no interesse de desenvolvedores para obter customizações para os clientes.

Estes profissionais, segundo o diretor, serão remunerados por um sistema da Sial e, caso o resultado não fique a contento, a empresa garante a execução do serviço.

Na prática, será criada uma bolsa de negócios em que clientes publicarão suas demandas e programadores poderão se candidatar a desenvolver soluções dentro do Quaizer.

Investir na abertura do código também deve ajudar a Sial a driblar o problema da carência de mão de obra.

“Qualquer pessoa interessada pode aprender a customizar módulos e criar para o Quaizer. Ainda por cima, vai ganhar dinheiro com isso. Vamos multiplicar os programadores a um número absurdo”, prevê Cohen.

Uma contribuição para o mercado, segundo ele, já que cálculos do Ministério de Ciência e Tecnologia indicam que a carência de mão de obra na TI brasileira pode chegar a três milhões de profissionais no curto prazo.

MUNDO LEGO
O Quaizer é baseado na engine Drupal, um CMS de código aberto, e trabalha com opções de módulos – “um mundo lego”, como descreve o empresário.

São 900 temas visuais para as soluções de helpdesk.

Hoje, o próprio Baguete Diário utiliza essa plataforma, assim como os sites da Casa Branca, Intel e CNN.

Além disso, o programa se integra com serviços como Aterix, solução de VoIP, e o Google Maps.

CLOSED SOURCE
Hoje, a Sial Software trabalha com o help desk Fireman, contratado por 150 clientes, entre eles Melita e Concepa, nos modelos de licenciamento definitivo e temporário.

Entre os recursos estão múltiplas opções para o canal de atendimento, sendo possível registrar incidentes de canais como web, e-mail, telefone, Twitter, Messenger, Skype e chat on-line.

Outra ferramenta é um coletor de inventário, que descobre o usuário durante a primeira coleta de informações de hardware e software, além de alertar automaticamente para as mudanças e novas configurações nos equipamentos.

A solução existe há 16 anos, e será usada na propaganda do Quaizer.

“É a mesma equipe de desenvolvedores, com o mesmo tempo de experiência e expertise, por isso estamos confiantes nos ganhos com a solução”, finaliza Cohen.