Positivo fatura menos em 2014. Foto: divulgação.

A Positivo divulgou nesta quarta-feira, 04, seus resultados financeiros de 2014, contabilizando um faturamento de R$ 2,3 bilhões, uma redução de 9,2% em relação ao total registrado em 2013.

Segundo a companhia, a queda se deu devido à diminuição das vendas de PCs no varejo. Entretanto, de acordo com a fabricante, a empresa compensou em parte esta queda com a venda de celulares.

A venda de tablets também teve recuo. A venda destes dispositivos móveis caiu 27,1% no quarto trimestre de 2014 em relação ao mesmo período em 2013.

Os celulares, por sua vez, foram os destaques, subindo 195,7% no balanço da companhia. Entretanto, a receita ainda representa uma fatia pequena dentro do total da empresa, representando apenas R$ 42,2 milhões.

De acordo com a empresa, expansão da venda de celulares foi favorecida pelo melhor desempenho no varejo e pelo início das vendas de celulares da marca por operadoras, após parcerias com TIM Participações e Oi.

O carro-chefe da companhia, os PCs foram os que levaram o maior baque. O faturamento com venda de desktops caiu 14,7% no quarto trimestre ano contra ano, para R$ 208,5 milhões. Já o faturamento de notebooks teve baixa 29,4%, para R$ 259,3 milhões.

Mesmo com a queda nas vendas, a Positivo fez investimentos importantes em 2014 para recuperar o fôlego em 2015, como a abertura de uma fábrica em Kigali, capital da Ruanda, visando fornecer nada menos que  750 mil notebooks e tablets para fins educacionais no país nos próximos cinco anos, dos quais 50 mil até o primeiro semestre do ano que vem.

Os equipamentos serão montados em uma fábrica de 7,5 mil metros quadrados construída em parceira com a argentina BGH, com a qual a empresa brasileira já mantém uma operação conjunta na Terra do Fogo. A título de comparação, a planta de Curitiba tem 59 mil metros quadrados.