Intel quer participar do mercado de drones. Foto: Newnow/Shutterstock

A Intel anunciou esta semana um investimento no segmento de drones, com a compra da alemã Ascending Technologies, empresa especializada em tecnologias de navegação para veículos não tripulados.

Com a compra, de valor não aberto, a Intel pretende usar as soluções da Ascending, que desenvolve softwares de prevenção de colisões e navegação de drones em espaços aéreos mais povoados, com as tecnologias já existentes da multinacional para o segmento.

Segundo a revista Fortune, uma das tecnologias da Intel que pode se beneficiar com as soluções da companhia adquirida é a RealSense, câmeras de reconhecimento tridimensional que podem ser usadas em drones para melhorar a navegação e detecção de impactos.

"A compra ajudará drones a voar com maior reconhecimento de seu ambiente", afirmou Josh Walden, VP sênior do grupo de novas tecnologias da Intel.

A preocupação com o aumento do número de drones no espaço aéreo, tanto os de uso particular como os de serviços (como entregas e segurança), está criando no mercado norte-americano uma demanda por regulamentação e soluções para evitar acidentes. Entidades como a NASA, universidades e fabricantes de drones estão desenvolvendo sistemas de controle aéreo para drones.

Com a compra da Ascending, a Intel também pretende entrar nesse cenário, aproveitando o potencial ainda embrionário destas soluções e apostando do crescimento do segmento.

Famosa por sua presença no mercado de chips para PCs e servidores, a Intel está gradativamente estendendo sua atuação para novas verticais e segmentos para impulsionar seu crescimento para o futuro. Frentes como drones, saúde e internet das coisas estão na mira da fabricante.

A manobra é reflexo da queda registrada pela companhia em sua receita com chips para PCs, tradicional mercado da companhia. Segundo os resultados globais divulgados pela companhia no terceiro trimestre de 2015, as receitas para desktops, tablets e notebook tiveram queda de dois dígitos.