Clientes em agência do Sicredi. Foto: DIvulgação.

O Sicredi, instituição financeira cooperativa gaúcha que está entre as maiores do país, não vai renovar um contrato de outsourcing de TI que mantém com a Accenture desde 2010.

A informação é de fontes de mercado e foi confirmada pela reportagem do Baguete junto ao Sicredi. 

“Neste momento, ambas as empresas estão conduzindo o período de transição, levando em consideração as pessoas envolvidas neste contrato”, afirma o Sicredi em nota.

Segundo o Baguete pode averiguar, a Accenture tem 70 profissionais dentro do Sicredi e o contrato que não será renovado termina em abril do ano que vem. 

Os funcionários foram comunicados semana passada da situação, mas não está claro como a Accenture vai conduzir o assunto.

O Baguete procurou a Accenture, que disse que não comentaria o assunto.

Enquanto isso, outras empresas com contratos vigentes no Sicredi estariam assediando alguns dos profissionais hoje contratados pela Accenture. 

Também correm rumores de um “acordo de cavalheiros” entre as diferentes companhias com profissionais no Sicredi, evitando assim um “leilão”. 

A Accenture tem uma relação de longa data com o Sicredi, que começou ainda em 2009, quando a gigante de consultoria foi contratada para a implantação de um sistema de gestão da SAP.

No ano seguinte, decidiu por uma mudança de curso significativa na sua TI, dividindo o que até então era o seu time interno em três: cerca de 200 permaneceram contratados diretamente pelo Sicredi, a Accenture contratou 180 e a IBM outros 180. 

O Sicredi tem mais de 4 milhões de associados e atuação em 22 estados e no Distrito Federal. No ano passado, o resultado líquido foi de R$ 2,7 bilhões, crescimento de 15,8% em comparação a 2017. 

Já os ativos totais chegaram à marca de R$ 95,1 bilhões, alta de 23%, e o patrimônio líquido cresceu 17,3%, totalizando R$ 14,9 bilhões, na comparação com o mesmo período do ano anterior.