A Aquiris é a primeira do setor de jogos eletrônicos a receber recursos do BNDES Procult. Imagem: Divulgação.

A Aquiris Games Studio, de Porto Alegre, obteve financiamento de R$ 1,5 milhão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para implantação de seu plano de negócios. 

A companhia é a primeira do segmento de jogos eletrônicos a receber recursos do Programa BNDES para o Desenvolvimento da Economia da Cultura (BNDES Procult).

O financiamento aprovado pelo BNDES representa 53,16% do total a ser investido pela Aquiris em desenvolvimento de jogos digitais e marketing. 

Os novos jogos estarão disponíveis em português, inglês, espanhol, francês, italiano, alemão, japonês, chinês tradicional, chinês simplificado e coreano, para plataformas móveis e computadores pessoais. 

Um dos produtos será multiplataforma e contará com a coprodução de uma geradora de programação de TV por assinatura, que investirá US$ 500 mil no projeto.

O investimento em marketing compreende lançamento e divulgação de produto, criação e manutenção de canais de mídias sociais do jogo e contratação de serviços de assessoria de imprensa para relacionamento com veículos especializados.

A Aquiris também precisou adequar as instalações, em razão da contratação de novos funcionários, e implantou um sistema de gestão para internalizar atividades de suporte que eram executadas por prestadores externos e aprimorar a contabilidade gerencial.

Fundada em 2006 e localizada no Tecnopuc, a empresa tem como um dos principais acionistas um fundo de investimentos do qual a BNDESPar (subsidiária de participações societárias do banco estatal) é cotista.

O jogo Horizon Chase, desenvolvido pela Aquiris, levou o prêmio de Melhor Jogo no Brazil's Independent Games Festival, em junho. Esta foi a primeira vez que uma empresa nacional ficou com o prêmio.

Além de jogos independentes, a empresa desenvolve games promocionais e projetos de realidade virtual para clientes como Nestlé, Coca-Cola, Embraer e GM.

O passo dado pela Aquiris é mais uma prova da força do Rio Grande do Sul no segmento de jogos. Em março, um relatório do BNDES mostrou que São Paulo e Rio Grande do Sul estão encabeçando o mercado de games no país, como primeiro e segundo estados com maior produção.

Do ponto de vista de produtoras, a Associação de Desenvolvedores de Jogos Digitais (ADJogos-RS), com 30 associados, já é a maior associação regional do país.

Apesar do potencial grande, o estudo mostra que as companhias que compõem o setor tendem a ser fundamentalmente pequenas e médias empresas, sendo que mais de 70% delas têm ainda um faturamento inferior a R$ 240 mil por ano.