TI dá um gás no negócio da Coopatrigo. Foto: flickr.com/fitopaldi

A TI é uma das apostas da Coopatrigo, cooperativa agrícola com sede em São Luiz Gonzaga, a 505 quilômetros de Porto Alegre, para fomentar os negócios em tempos de seca no estado.

Trocando em miúdos: dentre as diversas áreas de atuação da cooperativa está a de grãos, tendo como carro chefe a soja, que penou com a estiagem do último período de safra no Rio Grande do Sul, o que derrubou de 3,6 milhões em 2011 para cerca de 850 mil em 2012 o número de sacas recebidas pela Coopatrigo.  

O cenário oscilante é comum para quem atua na área agrícola, e sabendo disso a cooperativa lança mão de sistemas de gerenciamento e planejamento de ações, um deles voltado à gestão de contratos futuros de grãos, desenvolvido internamente com base na plataforma GeneXus.

O módulo foi criado em 2011, na sequência de outros projetos também baseados na plataforma de desenvolvimento da uruguaia Artech, como a centralização de dados em uma base única, que eliminou todos os demais sistemas para este fim.

“A concentração tornou facilitou a extração de dados administrativos e gerenciais para qualquer área, aumentando a confiabilidade e segurança das informações”, destaca Paulo Jung, responsável pela TI da Coopatrigo.

Além disso, também foram criadas em GeneXus funções para evitar fraudes em balanços rodoviários, entre outras.

O uso da plataforma de desenvolvimento de aplicações começou ainda em 2009, um ano depois de a cooperativa gaúcha implantar o ERP Delsoft.

Na época, o GeneXus incrementou as funções do próprio ERP, e de lá para cá, não parou mais.

Agora, novos projetos preveem a ampliação da base de sistemas de gestão com uma ferramenta de CRM.

Porém, em função da seca e todas as suas consequências na queda de produção e lucro, o projeto, que entraria na agenda de 2012, ficou para 2013.

A TI da Coopatrigo leva, por ano, cerca de 0,3% do faturamento geral, que em 2011 foi de R$ 240 milhões.
O departamento conta com quatro pessoas, duas dedicadas ao desenvolvimento, duas à parte de hardware e redes.

Além da sede em São Luiz Gonzaga, a cooperativa conta com atuação em outras sete cidades da região noroeste do Rio Grande do Sul, somando, em suas 13 unidades, capacidade de armazenagem em torno de 3 milhões de sacas.

A estrutura conta, ainda, com uma fábrica em Cruz Alta, onde a Coopatrigo recebe mais de 1,2 milhão de litros de leite por mês de mais de 600 produtores.

Na área comercial, a atuação se expande com oito lojas de insumos, cinco de consumo e veterinária, um supermercado e um posto de combustíveis.