Tamanho da fonte: -A+A

A Secretaria da Fazenda do Paraná conta com um supercomputador (Appliance Data Warehouse) da Teradata para processar os dados fiscais que passam pela pasta.

Parte do Phoenix, projeto de R$ 9,6 milhões que busca aprimorar a gestão dos recursos do setor pelo uso de ferramentas de informática, a máquina procura aumentar a eficiência do Fisco

“O equipamento dará agilidade e eficiência ao Fisco estadual”, afirma o secretário Luiz Carlos Hauly.

O “supercomputador” foi desenvolvido pela empresa norte-americana Teradata, líder no segmento. Com 1,95 metro de altura e 800 quilos, a máquina dispõe de capacidade de 30 terabytes.

“Relatórios que levam muitas horas para serem concluídos estarão disponíveis em minutos”, explica o auditor fiscal Glauco Ferraro Pires, da Assessoria de Gerência de Tecnologia da Informação da Coordenação da Receita do Estado (AGTI/CRE).

Ele destacou que o projeto Phoenix tem o objetivo de apoiar o processo de tomada de decisão dos gestores, subsidiar tarefas, auditorias e análises e democratizar o acesso à informação.

De acordo com o coordenador da Receita Estadual, Gilberto Della Coletta, o novo equipamento faz parte da infraestrutura do projeto, composto também pela aquisição de ferramentas de business intelligence que permitirão avanços e eficiência na fiscalização em todo o Paraná.

“Queremos possibilitar aos auditores fiscais e demais funcionários da secretaria o acesso amplo e eficiente aos dados e informações produzidos pelos sistemas corporativos”, diz Coletta.

Uma das medida é fazer o cruzamento de dados.

Bases como da nota fiscal eletrônica, a escrituração fiscal digital, o conhecimento de transporte eletrônico, além das tradicionais bases de dados como cadastro, guias de recolhimento, guias de apuração de ICMS e IPVA fazem parte do projeto.

O novo sistema também contempla consultoria (projeto, desenvolvimento e implantação) em aplicações voltadas a ambiente analítico de data warehouse, uma espécie de “armazém de dados”.