Divulgação, micamica/Flickr

A Evernote recebeu um investimento série D de US$ 70 milhões, liderado pela Meritech Capital e a CBC Capital e com participação dos fundos e contas geridos pela T. Rowe Price Associates, Inc.,  Harbor Pacific Capital, Allen & Company e vários outros investidores.

O valor da empresa, com essa rodada, é avaliado em US$ 1 bilhão.

Com 30 milhões de usuários em 2011, o triplo do ano anterior, o Evernote é uma solução que reúne vários tipos de conteúdo na nuvem, como um bloco de notas virtuais.

Imagens, áudios, anotações, documentos digitais, URLs e publicações em redes sociais, entre outros itens, podem ser enviados à conta do usuário no servidor via PC, tablet ou smartphone.

Ele ocupa o terceiro lugar no ranking de aplicativos de produtividade da App Store.

Segundo a empresa, a rodada possibilitará à Evernote ampliar sua base de usuários, expandir sua oferta em novos mercados e abrirá o caminho para aquisições estratégicas.

“Nosso objetivo é fazer da Evernote uma empresa de 100 anos, que proporcione um valor inestimável para nossos usuários”, se empolga Phil Libin, CEO da Evernote.

O primeiro beta da ferramenta foi lançado em 2008. Em 2010, o site atingiu a marca dos 10 milhões de usuários e a primeira rodada de investimentos – US$ 20 milhões, pelo Sequoia Capital, e outros.

Em 2011, no entanto, a própria Sequoia, junto com a Morgenthaler Ventures e a DoCoMo Capital fizeram novos aportes de US$ 50 milhões.

A Evernote tem escritórios na Califórnia, Texas, Tokio, Pequim e Zurique.

O aporte volta a mexer com o imaginário dos empreendedores da internet, já que ocorre menos de um mês depois da compra do Stagram pelo Facebook, por exatos US$ 1 bilhão, mesmo valor de avaliação do Evernote.