Fusões e aquisições podem consolidar TI. Foto: divulgação.

O mercado de TI em 2015 deve se consolidar devido a um crescimento no ritmo de fusões e aquisições (F&A). Quem aponta isso é a consultoria PriceWaterhouseCoopers.

Segundo um relatório divulgado pela companhia e publicado pelo Valor, somente no primeiro mês do ano, o mercado brasileiro já teve 60 operações do gênero. No segmento de TI, tradicionalmente conhecido por puxar estas transações, janeiro teve 15 operações, quatro a mais que o registrado no mesmo período em 2014.

De acordo com a PwC, muitos destes negócios são conclusões de transações iniciadas no final de 2014. Mesmo assim, a expectativa é que elas continuem ao longo do ano, chegando a 160 até dezembro, um crescimento de 15% sobre o ano passado.

Para Rodrigo Gollo, sócio da PwC, 2015 pode reservar uma consolidação do mercado de TI ao redor de grandes empresas, com maior estrutura para enfrentar o mercado difícil que o ano deve apresentar.

Os motivos para esta previsão são reflexos do aumento dos juros, assim como a necessidade das empresas maiores em incrementarem seus portfólios de produtos para aumentar a receita.

O dinheiro para as operações pode vir tanto de fundos de investimentos quanto de multinacionais interessadas em crescer no país. Segundo Gollo, os fundos captaram muitos recursos em 2014, e em janeiro já começaram a investir esse dinheiro. No primeiro mês do ano, cerca de 40% dos aportes vieram de private equity, mais que o dobro do que foi registrado no mesmo mês no ano passado.

Já as empresas estrangeiras podem aproveitar o atual cenário para adquirir empresas e tecnologias no país. Segundo aponta a PwC, em janeiro as multinacionais puxaram as fusões e aquisições, respondendo por 57% das transações, mais que os 43% de janeiro de 2014.

Para Micky Malta, fundador do Ribbt Capital, fundo que fez em janeiro seu segundo aporte na desenvolvedora de ERP Conta Azul, o mercado nacional é bastante atrativo para os estrangeiros, com bastante opções a explorar.

"E o dólar barato deixa os preços ainda mais atraentes", completou o executivo.