Oi ativa rede OTN e investe em G.fast. Foto: Shutterstock.

A Oi ativou em dezembro a primeira rede de telecomunicação nacional de tecnologia OTN, com conexões de 100 gigabits por segundo, em uma extensão de 30 mil quilômetros no país.

Realizado em parceria com a Alcatel-Lucent, o projeto se baseia no uso de equipamentos OTN (Optical Transport Network), com o plano de dar à rede da operadora mais robustez para atender ao crescente consumo de dados nos próximos anos.

O backbone atende 12 capitais, nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Bahia, Ceará, Pernambuco, Piauí e Distrito Federal.

O projeto conta com um sistema dedicado de redundância de dados, a fim de evitar que o serviço seja interrompido por acidentes ou eventos externos que prejudiquem a rede da Oi. Cada rota tem três caminhos, criando um sistema de redundância para garantir eficiência e continuidade da rede de banda larga, dos serviços de dados corporativos e empresariais e serviço móvel.

Recentemente, a companhia fechou outra parceria com a Alcatel-Lucent  para introduzir a tecnologia G.fast na rede de banda larga fixa para uma conexão mais veloz, tornando-se a primeira prestadora de serviços de telecomunicações da América Latina a ter esta tecnologia em sua rede.

A solução G.fast provê até 1Gbit por segundo de velocidade para o usuário final, com reaproveitamento dos investimentos realizados na rede de cobre. A tecnologia também incentiva a introdução de novos serviços de interesse público, como cuidados remotos com a saúde, educação remota, serviços de TV 4K, segurança e muitos outros.

A primeira rede no país usando G.fast será implantada no Rio de Janeiro e a previsão é de que isso ocorra em março de 2016. Depois, o projeto será ampliado para todo o território brasileiro.

"O projeto está em fase de desenvolvimento com o objetivo de sermos os primeiros a implantar a tecnologia G.fast na região. A solução é inovadora e irá melhorar ainda mais a oferta dos nossos serviços e a experiência para os nossos clientes. Estamos combinando esforços e comprometidos com este projeto", comenta Pedro Falcão, diretor de Tecnologia de Rede e Sistemas da Oi.

O acordo com a Alcatel-Lucent prevê ainda trabalhos em conjunto para futuros testes do XG.fast, uma tecnologia em desenvolvimento pelo Bell Labs da Alcatel-Lucent que permitirá velocidades de 10 Gbps sobre pares de cobre em curtas distâncias.

No mercado nacional de banda larga, a Oi ocupa o terceiro lugar, com um market share de 25,09%. A liderança do segmento é da América Móvil, que opera no país com a marca NET e tem uma fatia de 31,64% do mercado. A vice-liderança é da Vivo/GVT, com 28,91 do share.

O acordo com a Alcatel-Lucent prevê ainda trabalhos em conjunto para futuros testes do XG.FAST, uma tecnologia em desenvolvimento pelo Bell Labs da Alcatel-Lucent que permitirá velocidades de 10 Gbps sobre pares de cobre em curtas distâncias.