ECONOMIA

Governo corta R$ 481 milhões do MCTI

03/12/2015 17:42

Desde o início do ano, o total da redução do orçamento do MCTI chega a 35,9% do valor previsto.

Desde o início do ano, o total da redução do orçamento do MCTI chega a 35,9% do valor previsto. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O governo federal anunciou na segunda-feira, 30, a retenção de mais R$ 10,7 bilhões do orçamento federal para este ano. Com a nova rodada de cortes, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) perdeu R$ 481 milhões. 

O valor faz da pasta a sétima com o maior corte, segundo a Agência Gestão CT&I. A primeira colocação ficou com o Ministério das Cidades, com R$ 1,9 bilhão, seguido pelo Ministério dos Transportes, com R$ 1,4 bilhão.

Com o novo corte, o total da redução do orçamento do MCTI chega a 35,9% do total destinado ao órgão inicialmente, que era de R$ 7,311 bilhões. 

O governo diminuiu o valor pela primeira vez em maio, quando cortou 25% do orçamento. Dois meses depois, uma nova redução de R$ 350 milhões foi aplicada.

Segundo o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), o novo corte foi realizado em virtude do “cenário econômico” adverso, que resultou na grande frustração de receitas em conta.

Mesmo com o corte, o MCTI afirmou à Gestão CT&I,  que irá preservar todos os pagamentos referentes a programas de bolsas de estudos que estão em andamento junto à pasta.

Entre as bolsas estão as dos beneficiários do programa Ciência sem Fronteiras, que atualmente tem 23.971 bolsas vigentes em países como Estados Unidos, Coreia do Sul, Japão, Austrália, Finlândia e África do Sul.

De acordo com o MPOG, o pagamento para esses bolsistas é feito por uma empresa contratada em cada país. O MCTI já havia empenhado o pagamento desse recurso antes da edição do decreto que determinou o novo corte.

Veja também

ECONOMIA
Eleições de 2016 serão com papel

Medida será adotada por falta de dinheiro.

QUALIDADE
Paraná é líder em MPS.BR

Estado tem um total de 48 companhias, três a mais do que as do segundo lugar, São Paulo.

FOMENTO
Badesul terá foco em PPPs

Banco quer reduzir a dependência do BNDES.