KLM vendeu passagens com até 85% de desconto por erro em e-commerce. Foto: Atosan/Shutterstock.com.

Tamanho da fonte: -A+A

Depois de um erro no sistema ter colocado a venda passagens do Brasil para a Europa com preços abaixo de R$ 500, a KLM informou nesta terça-feira, 3, que as compras serão honradas para os clientes que chegaram a receber o e-ticket.

Mesmo assim, para o Procon, até os consumidores que receberam apenas a confirmação da reserva tem direito ao cumprimento da oferta.

"Quem cancelou o bilhete não foi o consumidor, que cumpriu com todas as fases da compra. Se a pessoa efetuou o pagamento e passou da tela de pagamento, cumpriu com a sua obrigação", afirma a assessora ténica do Procon-SP, Marta Aur, em entrevista ao G1.

Na segunda-feira, 1º, o Melhores Destinos fez uma postagem informando que o site da KLM estava vendendo passagens de ida e volta para Madri, Paris e Amsterdã saindo do Rio de Janeiro por apenas R$ 332.

Uma pesquisa feita hoje encontrou passagens para os mesmos destinos com preço de aproximadamente R$ 2,3 mil. 

Considerando esses valores, as passagens vendidas durante a falha no site saíram por um valor até 85% mais baixo do que o convencional.

A postagem do Melhores Destinos foi curtida 41 mil vezes no Facebook e tem quase 1,5 mil comentários de pessoas que conseguiram ou estavam tentando comprar a passagens.

Já a postagem desta quarta-feira, 3, em que o Melhores Destinos divulgou a nota oficial da KLM, 465 comentários foram feitos até às 15h30min. Desses, cerca de 55 afirmavam ter conseguido comprar ao menos uma passagem (alguns compraram com acompanhante e outros adquiriram até 4 tickets).

Somente com esses consumidores a companhia pode ter deixado de ganhar cerca de R$ 100 mil.

O total de passagens vendidas com o preço errado não foi divulgado pela KLM.

As passagens baratas ficaram disponíveis por, pelo menos, 4 horas, o que chegou a causar falhas em sites como o Submarino Viagens, que, segundo o Melhores Destinos, não aguentou o volume de acessos.

O Procon orienta que os consumidores que se sintam prejudicados procurem os órgãos de direito do consumidor para garantir o cumprimento da compra.

A KLM é uma empresa holandesa fundada em 1919. Ela faz parte do Grupo AirFrance KLM desde 2004, quando as companhias uniram operações.

A empresa tem 32 mil funcionários e faturou € 9,6 bilhões em 2013.