Globant ataca na bolsa de NY. Foto: divulgação.

A desenvolvedora argentina de software Globant registrou esta semana uma oferta pública de ações junto à Comissão de Câmbio e Segurança dos Estados Unidos, no valor de US$ 86 milhões.

O IPO marca um passo importante para a indústria de tecnologia na América Latina, segundo afirmam analistas. Ao entrar no mercado norte-americano de ações, a Globant firmaria a região como uma força a ser reconhecida na produção de sistermas e serviços de inovação.

A entrada da Globant na bolsa de Nova York marcaria a primeira presença de uma companhia de tecnologia e a décima-quarta da história do país a entrar no mercado americano de ações.

Do Brasil, por exemplo, nenhuma empresa brasileira figura na bolsa de NY. Mesmo na Bovespa, a presença é tímida, contando com poucos nomes: Bematech, Itautec, Positivo, Ideias Net, Totvs e Universo Online.

Atualmente, a Globant fornece softwares e serviços para multinacionais como American Express, Coca-Cola, Disney, Electronic Arts, Google, JP Morgan Chase & Co., LinkedIn, National Geographic e Zynga.

De acordo com o Newshore Americas, a Globant se destacou no cenário internacional como uma potência em outsourcing de tecnologias (ITO), combinando sistemas abertos e proprietários para o fornecimento de softwares, games, redes sociais e apps mobile.

Além disso, a empresa também investiu em frentes como computação em nuvem, big data e serviços para e-commerce. 

A Globant conta atualmente com cerca de 3 mil funcionários, com escritórios em 14 cidades em países como Argentina, Brasil, Colombia, Uruguay, Estados Unidos e Reino Unido.

No primeiro semestre de 2013, a companhia contabilizou uma receita de US$ 71,1 milhões, uma alta de 26% sobre o mesmo período no ano anterior.

No final de 2012, a companhia argentina comprou a brasileira TerraForum, empresa de inovação e consultoria nas áreas de marketing digital e social media, levando para a carteira empresas como o banco HSBC, Unilever e Petrobras.