Roberto Guimarães Campos. Foto: Baguete.

Tamanho da fonte: -A+A

O Grupo Bom Jesus, de Curitiba, que mantém os colégios Bom Jesus e São José, a FAE Centro Universitário, e é gestor da Universidade São Francisco, em São Paulo, virtualizou sua infraestrutura de TI com a LCS.
 
No projeto, a integradora que tem sede em Ribeirão Preto e filial na capital paranaense utilizou o XenDesktop, da parceira Citrix.
 
No grupo educacional, que soma em torno de 65 mil alunos, os sistemas virtualizados permitem gerenciar mais de 5,5 mil estações de trabalho não só na sede, mas também em operações no Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
 
Além disso, agilizaram a implantação de novas unidades educacionais - o grupo passou de 14 para 55 operações nos últimos nove anos, e hoje, com a infraestrutura de TI virtualizada e padronizada, pode implantar cada nova em uma média de até 45 dias.
 
“As soluções foram fundamentais para superarmos desafios como processos de fusão, consolidação, otimização de custos e crescimento", afirma o CIO do grupo, Sérgio Santi.
 
Em custos de telefonia, a redução decorrente da virtualização chega a aproximadamente 60%.
 
Com a virtualização de aplicativos e servidores, a instituição educacional disponibiliza, ainda, acesso a desktops para gerentes via iPhone e para funcionários administrativos e financeiros de qualquer dispositivo com acesso a Internet.
 
Além disso, o XenDesktop permitiu desenvolver a opção de laboratório virtual para alunos.
 
PASSADO, PRESENTE...
Não foi o primeiro investimento do Bom Jesus em Citrix: o grupo já usa soluções da companhia há dez anos, desde o XenApp (antigo Metaframe), Presentation Server, até a virtualização de servidores Citrix, do que partiu para o atual uso do XenDesktop.
 
... E FUTURO
A instituição já faz novos planos de investimentos em virtualização, além de expansão do uso de computação em nuvem.
 
A INTEGRADORA
Conforme Roberto Guimarães Campos, Chief Commercial Officer da LCS, o Bom Jesus é um dos maiores clientes da regional Sul da LCS.
 
Além desta, a integradora especializada em virtualização, cloud computing e data center tem também filiais em São Paulo, Campinas, Belo Horizonte, Triângulo Mineiro, Brasília e Goiânia, além dos EUA.
 
Ainda este ano, abrirá em Porto Alegre e no Recife.
 
A empresa faturou R$ 30 milhões em 2011, valor que projeta aumentar em 40% em 2012.
 
Em todo o país, a carteira passa de 1 mil clientes, que incluem 50 das maiores empresas do país ranqueadas pela revista Exame, conforme Guimarães Campos.
 
A FORNECEDORA
Já a Citrix atua em virtualização, redes de comunicação e SaaS, com receita de US$ 589 milhões no primeiro trimestre de 2012, alta anual de 20%.
 
As famílias de produtos Citrix Delivery Center, Cloud Center (C3) e Citrix Online Services atendem a mais de 230 mil empresas que incluem as maiores de Internet do mundo e 99% das 500 maiores globais do ranking da Fortune, conforme divulgado pela companhia.
 
A LCS é uma das dez mil parceiras que a norte-americana mantém em mais de 100 países.
 
Gláucia Civa cobriu o LCS Fórum 2012, em Ribeirão Preto, a convite da LCS.