Números gaúchos não tem um gosto bom. Foto: flickr.com/photos/guilherme_floriani/

A participação do PIB gaúcho na economia nacional está em queda:

Comparado ao período de 1990 a 2000, diminuiu 0,7 ponto percentual, ficando com 6,4% de participação e perdendo sua importância, junto a São Paulo e Distrito Federal. 

Os dados são do IBGE, e se referem a um estudo realizado em novembro. Fatores climáticos, dependência do campo e crise nas contas públicas são as possíveis causas citadas pelos economistas à reportagem da Folha de S.Paulo.

Além do mais, o estado é proporcionalmente o mais endividado do país, com dívida superior ao limite legal de 200% da receita corrente líquida. 

Sem caixa, o Rio Grande do Sul pouco consegue investir em infraestrutura e é prejudicado na guerra fiscal, resume a Folha.

Para completar o cenário, na época em que o país estava em crescimento acelerado, sendo destaque mundial no meio da década passada em grande parte pelo crescimento do agronegócio, o interior gaúcho enfrentou uma das maiores secas de sua história.

A crise do campo gaúcho se espalhou por diversos setores. Com a indústria vinculada ao meio rural por força da produção de máquinas e implementos agrícolas, o endividamento se agravou.

"É como se o Estado tivesse se atrasado em dois anos. Depois voltou a crescer, mas sem recuperar o atraso", diz o economista Martinho Lazzari, da Fundação de Economia e Estatística do Estado.