O Facebook abrigará um programa de aceleração na Estação Hack. Foto: Divulgação.

O Facebook inicia nesta segunda-feira, 2/10, o processo de seleção de startups de impacto social que abrigará gratuitamente na Estação Hack, centro para inovação anunciado pela empresa em São Paulo.

Em parceria com a Artemisia, o programa irá selecionar até 10 startups de todo o país que usem dados intensivamente em suas soluções e que tenham “potencial de gerar transformações positivas à sociedade em larga escala”.

O programa é focado em negócios que já tenham protótipo em fase de testes de mercado, até startups com produtos já lançados que buscam rápido crescimento.

A iniciativa vai selecionar soluções nas áreas de empregabilidade, educação, segurança de dados, engajamento cívico, serviços financeiros (para inclusão ou educação financeira) e microempreendedorismo. 

As startups selecionadas terão residência de seis meses na Estação Hack, com acesso à infraestrutura e ferramentas do Facebook. Também receberão mentoria de especialistas, apoio na formação do modelo de negócios e refinamento do impacto social com a metodologia Artemisia. 

“Sabemos que a tecnologia pode transformar a vida das pessoas, mas nem sempre elas têm as ferramentas que precisam para desenvolver suas soluções. É isso o que vamos oferecer aos brasileiros no programa de aceleração da Estação Hack”, afirma Eduardo Lopes, coordenador da Estação Hack.

As inscrições para o programa de aceleração de startups da Estação Hack vão de 2 a 29 de outubro e podem ser feitas pelo site do projeto.

A Estação Hack, primeira iniciativa do Facebook voltada para capacitação no mundo, terá ainda projetos como cursos gratuitos de programação para jovens e workshops sobre empreendedorismo e planejamento de carreira.