Empolgação pelo Windows 10 já não é mais a mesma. Foto: divulgação.

Depois de uma estratégia agressiva de divulgação e um começo animador no número de adoções pela base de consumidores, parece que o Windows 10 já está desacelerando em cerca de três meses de lançamento.

Segundo dados da firma de estatísticas StatCounter, o Windows 10 respondeu em setembro por 7,64% do uso de internet em PCs ao redor do mundo, um crescimento baixo em relação aos 5,38% registrados no mês anterior.

De acordo com o levantamento, o Windows 10 ocupa o quarto lugar no ranking de número de usuários entre as plataformas Windows, ficando atrás até mesmo do Windows XP, sistema lançado em 2001 e que já teve seu suporte descontinuado pela Microsoft.

O Windows 7 ainda está na dianteira com 51,52%, conforme aponta a StatCounter, mas a aplicação já registrou uma queda de mais de um porcento em sua base - provavelmente usuários que fizeram o upgrande para o W10.

Mesmo assim, é um tanto inusitado ver que a empolgação do Windows 10 perdeu parte de seu gás. Vale lembrar que a Microsoft estabeleceu um plano ambicioso para aumentar sua base de usuários para o novo sistema, chegando ao ponto de fornecer gratuitamente aos usuários de Windows 7 e 8 o upgrade para a nova versão.

Nas primeiras semanas, parece que a estratégia deu certo, já que mais de 75 milhões de instalações do novo sistema foram contabilizadas, um ritmo mais veloz que nas duas versões antigas da OS da empresa de Redmond. Entretanto, a empresa não manteve o pique.

Segundo analistas, o desafio para a Microsoft agora é fazer que outros usuários acompanhem, mas sem pressioná-los tão agressivamente a ponto de espantá-los. 

Microsoft ainda lida com uma grande base de PCs defasados e padrões de uso sedimentados, sem contar que usuários corporativos precisam pagar para fazer o upgrade.

"Atualizações grátis para consumidores retira apenas uma de várias barreiras, e fazer o Windows 10 o sistema predominante será uma luta árdua", afirmou Jared Newman, da PC World norte-americana.