Até hoje, foram implementadas 87.364 bolsas do Ciência Sem Fronteiras.. Foto: Syda Productions/Shutterstock.

O programa Ciência Sem Fronteiras, que concede bolsas de estudos para alunos brasileiros estudarem no exterior, teve um corte no orçamento para 2016. O valor de R$ 2,1 bilhões destinado ao programa no ano que vem é R$ 1,4 bi menor do que o reservado em 2015.

Os dados são da proposta orçamentária do governo, encaminhada ao congresso na segunda-feira, segundo a Época.

Até hoje, foram implementadas 87.364 bolsas do Ciência Sem Fronteiras. Dessas, 68.862 foram destinadas para alunos de graduação, que estudam dois semestres em faculdades do exterior.

A meta inicial do governo com a criação do programa era enviar 100 mil estudantes para outros países até 2015.

Quase 40 mil alunos beneficiados são da área de engenharia. Cerca de 15 mil estudam biologia, ciências biomédicas e da saúde. A terceira maior área de estudo dos beneficiados - que enviou 7,5 mil estudantes - é a indústria criativa, que inclui cursos como arquitetura e design.

A área de computação e TI é a quinta com maior número de bolsistas, com 5,5 mil alunos beneficiados.