Alejandro Raposo.

Alejandro Raposo, ex-CEO da fabricante de eletrônicos argentina BGH no Brasil, acaba de assumir a posição de country manager e diretor de canais da Symantec para o Brasil. 

O executivo reportará diretamente ao Sergio Chaia, vice presidente e diretor geral da Symantec Brasil e América Latina, ele próprio um novato na multinacional, tendo assumido o cargo em março.

Chaia e Raposo se conhecem da Nextel, onde Raposo foi vice presidente de Vendas por mais de uma década, enquanto Chaia foi CEO da empresa no Brasil. 

“Alejandro é um líder dinâmico, com experiência de construir e liderar as estratégias de negócios e vendas de diversas empresas. Ele terá uma contribuição significativa na condução dos avanços da Symantec no Brasil”, afirma Chaia.   

Raposo parece ser o último executivo trazido no que foi um processo de mudança de cima a baixo na operação da Symantec no Brasil nos últimos meses.

No período, saíram o country manager Wagner Tadeu (hoje na NetApp) e o vice-presidente da área de consumer da companhia Fabiano Tricarico (hoje na McAffe), além do diretor de canais Paulo Vendramini (hoje na Allen).

Cargos médios também entraram nos cortes, incluindo Moreno Goes, diretor de vendas para a área de governo e educacional da Symantec, e a diretora de vendas para grandes contas em São Paulo, Marcia Nakahara (hoje a country manager da McAfee).

No lugar dos executivos saídos, a Symantec adotou um approach inédito de trazer profissionais de fora da empresa, e, inclusive, de fora do mercado de segurança propriamente dito.

Além da Nextel, Chaia acumula passagens por Sodexo, Pepsico, Pfizer. O profissional nunca dirigiu uma empresa na área de TI.

Lucia Bulhões, ex-diretora de vendas da Dell no Brasil, assumiu como a nova diretora de Vendas

É mudança e tanto para a Symantec no Brasil. Desde o começo das operações por aqui, a fabricante de antivírus sempre foi comandada por executivos de carreira da empresa.

Agora é aguardar para ver os resultados que o novo time trará. Em nível global, a estratégia parece não ter dado certo.

Em julho de 2012, a empresa trouxe Steve Bennett, um ex-GE, para assumir como CEO. Bennet não durou um ano no cargo, sendo demitido em março deste ano.

A empresa não tem tido bons resultados. Na nota na qual divulgou a saída do CEO, a Symantec também divulgou suas expectativas para o quarto trimestre do ano fiscal de 2014, apontando vendas de US$ 1,6 bilhão, contra US$ 1,7 bilhão no ano passado

A Symantec, quase um sinônimo de antivirus, atravessa um momento complicado, no qual enfrenta a concorrência de novatas como Palo Alto Networks e a FireEye enquanto tenta se adaptar a um novo cenário de computação, na qual mobilidade é uma tendência crescente.