Além do executivo, Senado também conta com tablets. Foto: flickr.com/photos/agenciasenado

Tamanho da fonte: -A+A

Levantamento feito pelo ministério do Planejamento indica que 45% das compras de TI do governo federal foram de tablets no primeiro semestre desse ano, chegando a R$ 337,9 milhões.

As compras de bens representaram 87%, aproximadamente R$ 745 milhões, e as de serviços, 13%, ou R$ 107,6 milhões.

Como base, foram utilizados dados do portal de licitações Comprasnet.

De janeiro a junho, o Ministério da Educação foi o órgão da administração federal que mais realizou compras de TI, respondendo por 59% dessas contratações, o equivalente a R$ 499,3 milhões.

O secretário de logística e tecnologia da informação do Planejamento, Delfino Natal de Souza, destaca a  participação do MEC nas compras de TI (59%, ou R$ 499,3 milhões), pois envolve programas educacionais, e enfatiza a modernização da administração pública com tablets.

“Já temos também uma participação significativa destes equipamentos nas áreas administrativas da União”, afirma Souza.

Regionalmente, os órgãos federais que mais contrataram bens e serviços estão concentrados no Centro-Oeste (66%), totalizando gastos de R$ 565,4 milhões. Os órgãos do Distrito Federal respondem pela quase totalidade das compras nessa região, atingindo R$ 547,1 milhões.

Em relação a 2007, a compra de bens e serviços de TI em 2012 cresceu 25%. Nesse período, o pregão eletrônico foi a modalidade mais utilizada para contratação, gerando uma economia média de 19%, estimada em R$ 83 milhões.

Em 2012, o pregão eletrônico já responde por 99,3% das licitações dessas compras, proporcionado uma economia de 28%, o equivalente a R$ 332,9 milhões.