Análise de dados está em alta. Foto: Pixabay.

A Unisys vai contratar 16 cientistas de dados para sua operação latino americana até o final de 2017, triplicando o número total para 24.

A companhia não abriu onde serão feitas as contratações, mas é razoável supor que pelo menos a metade será no Brasil. Em todo o mundo,a Unisys emprega 300 profissionais com esse perfil.

A função é exercida por oriundos de áreas diversas como matemática, ciências da computação, análise de sistemas, estatística e física.

Os profissionais da área constroem modelos prescritivos e preditivos que auxiliem os clientes a utilizar uma massa de dados para a tomada de melhores decisões de negócios.

Uma pesquisa do ano passado da PageGroup, multinacional de recursos humanos, colocou a função como uma das mais procuradas no mercado brasileiro no momento, pagando salários entre R$ 5 mil a R$ 30 mil.

Uma recente pesquisa do Gartner indicou que Business Intelligence/ Analytics é a principal prioridade entre os gastos de tecnologia por parte dos CIOs na América Latina. 

Já a IDC aponta que esse mercado atingirá a cifra de US$ 187 bilhões no mundo até 2019.

As empresas tem buscado aproveitar a oportunidade. A Sonda recentemente anunciou um investimento de R$ 1 milhão em um centro de competência de aplicações de negócio para atuar no modelo Insight-as-a-service, com 10 cientistas de dados contratados.

Como prova do aquecimento do mercado, a empresa prefere não divulgar os nomes dos profissionais.