Fabricante de bebidas migra e-mails para o Exchange. Foto: Flickr.com/unevenstylis

A Spaipa, indústria de bebidas do sistema Coca-Cola responsável por atender a Paraná e interior de São Paulo, adotou o Microsoft Exchange para agilizar sua plataforma de mensageria.

De acordo com o Claudio Fontes, gerente de TI da Spaipa, os estudos sobre as mudanças na ferramenta antes utilizada iniciaram no primeiro semestre de 2011.

Em seguida, veio o contrato com a Sofhar, parceira Microsoft sediada em Curitiba, que fez a migração de 1,2 mil  contas de e-mail para a o Outlook.

“Depois de o cliente usar outro sistema por mais de dez anos, o volume de dados a ser migrado era grande e tornava a operação complexa”, explica Roberto Luciano Clementi, diretor de Operações da Sofhar.

Para José Edilson de Melo, gerente de Infraestrutura de TI e Telecomunicações da Spaipa, o treinamento de pessoal especializado e a definição de uma área específica em seu servidor para a realização de backups, além de um dimensionamento prévio de infraestrutura para suportar as mudanças, foi fundamental para garantir a migração sem traumas.

Iniciado em março de 2012, o trabalho levou a ferramenta antiga e o Exchange em coexistência durante seis meses, período em que foram gradualmente migrados 300 GB de base de dados.

Hoje, a Spaipa tem mais de 1,6 mil caixas de mensagens em uso, com mais de três terabytes de dados armazenados.

“Esse aumento era esperado, e o nosso servidor está preparado para suportar ainda mais crescimento de armazenamento de dados em mensageria”, comenta Edilson.

PRÓXIMOS PASSOS
Com a migração concluída, a Spaipa se prepara para a segunda fase, que é a implementação do Lync, integrante da plataforma Exchange que oferece os serviços de instant message e web conference.

“Atendemos uma região no Brasil que tem o equivalente ao território da Alemanha, por isso precisamos encontrar formas eficientes e confiáveis de trocar informações e mensagens dentro e fora da nossa organização”, explica Fontes.

GRANDE

A Spaipa teve receita líquida de R$ 1,8 bilhão em 2011, aumento de 15,3% sobre 2010 (último exercício divulgado).

A empresa tem três fábricas de refrigerantes localizadas em Curitiba, Maringá e Marília. 

A planta de Maringá foi inaugurada em agosto de 2012, com investimentos de R$ 150 milhões, e aumentou a capacidade produtiva da companhia em 122%, que passou de 353 milhões de litros para 784 milhões de litros/ano.

Uma fábrica de água mineral em Bauru, cinco centros de distribuição, cinco transit points e escritórios de vendas espalhados por toda sua área de atuação complementam a estrutura do grupo que emprega cerca de 4,4 mil  colaboradores e atende a mais de 124 mil clientes cadastrados.