Stefanini tem 30 centros de desenvolvimento em diversos países. Foto: flickr.com/photos/jasonbachman.

A Stefanini aderiu a soluções da IBM para otimizar os processos nos seus 30 centros de desenvolvimento, em países como Estados Unidos, Filipinas, Índia, México, Peru, Colômbia, Romênia, China e Brasil.

Com a plataforma IBM Rational, os 17 mil colaboradores conseguem sincronizar o trabalho de equipes de localização e fusos horários diferentes. De forma integrada, os profissionais desenvolvem os mesmos projetos com padrões semelhantes. 

“É possível apresentar relatórios online aos clientes, gerenciar melhor os custos e listar os recursos mais ociosos ou com maior demanda, por exemplo. O resultado são projetos mais rápidos, com qualidade superior e, consequentemente, clientes mais satisfeitos”, ressalta Bráulio Lalau de Carvalho, vice-presidente de Aplicações da Stefanini.

Com a solução colaborativa, um projeto pode ser finalizado em 150 dias, o que antes levava cerca de 250 dias. 

A tecnologia completa tem capacidade de expansão e envolve vários módulos do software. O principal, Collaborative Lifecycle Management (CLM), que engloba IBM Rational Requirements Composer, IBM Rational Team Concert e IBM Rational Quality Manager, coordena as atividades de desenvolvimento, desde o estudo dos requisitos técnicos até o desenvolvimento.

A Stefanini é a terceira empresa mais internacionalizada do Brasil, atrás apenas de JBS e Gerdau, de acordo com um levantamento da Fundação Dom Cabral divulgado em agosto.

O índice de internacionalização da empresa brasileira de TI é de 49,6%. A JBS fica com 58,9% e a Gerdau com 54,2 %.

A Stefanini afirma ter sido a primeira empresa brasileira de TI a abrir uma filial no exterior, com a inauguração da operação argentina em 1996.

Desde então, abriu filiais no Chile e no México, em 2000; no Peru, na Colômbia e nos Estados Unidos em 2001; na Espanha, Portugal e Itália, em 2003; no Reino Unido e na Índia, em 2006, e no Canadá em 2008.

Em 2010, a consultoria deu um salto nesse processo com a aquisição de duas empresas nos Estados Unidos (Tech Team e CXI) e uma na Colômbia (Informática & Tecnologia), passando a atuar em 27 países, contra os 19 anteriores.

Nos últimos anos, a empresa incrementou ainda mais sua presença abrindo centros de desenvolvimento em países como China e Filipinas.